02

ago13

Fiat faz apologia ao assédio sexual em comercial de novo carro

assedio-sexual

Cultura patriarcal-machista e carrocracia têm muito a ver. Tanto pelo fato de o carro ser venerado como símbolo de empoderamento “viril” pelos homens cis héteros como pelas propagandas machistas envolvendo automotores e assédios sexuais contra mulheres. Foi o caso do comercial do Fiat Bravo Wolverine, em que o homem recém-dono do carro se acha no poder de dominar a mulher que o acompanha com uma mão boba na coxa esquerda dela.

Depois que o rapaz apresenta à sua amiga/ficante/paquera as melhores características do seu carro, ele investe em agarrar a coxa da moça. A reação inicial dela diante de tal ato é perguntar “E essa mãozinha aqui?”, sendo respondida pelo homem: “É o climinha… de cinema” e havendo um beijo mútuo em seguida. O comercial fantasia assim a reação das mulheres a atos de assédio sexual, como se elas gostassem de ser tocadas sem consentimento e ainda beijassem o assediador como resposta. Trata a mulher desacompanhada como se fosse livre para ser paquerada e assediada pelo primeiro homem dono de carro que aparecer por perto.

Mas a realidade é bem diferente. Mulheres não são pessoas disponíveis para o primeiro assediador que aparecer lhe dando cantadas ou contatos lascivos. Não irão reagir beijando o primeiro sujeito que acha que tem o poder de invadir o espaço íntimo dela e tocar em suas partes sexualizadas. Pelo contrário, são pessoas com autonomia sobre seus próprios corpos e dotadas de vontade e dignidade.

A agência de publicidade que fez tal vídeo (e cujo nome não encontrei ainda), assim como a Fiat ao consentir tal produção, acaba fazendo apologia para que os homens com “carrões” se sintam, graças aos seus carros, empoderados o suficiente para tocar lascivamente a primeira mulher que se aproximar dele amigavelmente. É machismo e violência sutil contra a mulher e deve ser denunciado, assim como motivar protestos na fanpage da Fiat do Brasil.

imagrs

10 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Davi

setembro 27 2013 Responder

Cara isso é só uma propaganda publicitária, vc esta levando isso tudo a ferro e fogo.
Concordo com o Elias, os dois já se conheciam e ela entrou no carro de livre e espontânea vontade.
Quando a Brahma estava usando bichos nas propagandas delas tbm vieram cheios de nhé, nhé, nhé e eles tiveram que tirar a propaganda do ar.
Se a mulher entra no carro do cara com uma micro saia, sem conhecer o cara, só pq foi convidada. Ela ta querendo que o cara leva ela numa missa?
A mulher tbm tem que se compor, não se pode jogar tudo pra cima do homem e falar que a propaganda é um incentivo.

E só um conselho. [Trecho grosseiro e ofensivo apagado. RFS] O assédio sexual caracteriza-se por alguma ameaça, insinuação de ameaça ou hostilidade contra o subordinado ou não. Lei número 10.224, de 15 de maio de 2001. CPP
E na propaganda não mostra nenhuma dessas situações, por isso vc esta errado nas suas palavras.

Esses seus argumento para assédio sexual são muito fracos, qualquer estudante de 2° período de direito (ou até mesmo de 1° período), quebra a sua fraca argumentação.

    Ana

    outubro 7 2013 Responder

    Não é questão de direito ou não, e sim de carater.
    Assim como comercial de cerveja tem como objetivo incentivar a compra da cerveja (óbvio),o comercial de carro tem como objetivo incentivar a compra do carro com a intenção de “pegar” mulher como se ela fosse um ser que se ganha fácil com “presentes”.
    Sim,ela entrou no carro e isso não dá direito ao homem de tocar nela.
    Ela podia estar nua,e mesmo assim o homem não teria esse direito.
    Talvez,pra vc,não seja incentivo.Mas pra muitos homens imaturos e mal resolvidos é sim.E eu conheço muitos que usam o carro como forma de atrair mulheres com essa mesma conversa sua :se ela entrou é pq tá pedindo pra ser assediada.

Juliana

agosto 14 2013 Responder

O mais espantoso é, como dito no texto, a empresa compactuar com esse cenário, ao permitir que tal propaganda seja veiculada. Aliás, que seja gravada.

Juliana

agosto 14 2013 Responder

Concordo plenamente com o texto e ainda acrescento:
além de demonstrar de forma machista e sexista que toda mulher se aproxima de qualquer pessoa visando interesses materiais, ainda, propaga a ideia de que os homens são tão babacas e incompetentes, que precisam de tal subterfúgio para se “dar bem” na conquista por não ter capacidade para conquistar uma mulher de outra forma.
Tive o desprazer de assistir essa “propaganda” e, indignada, compartilhei em minha timeline do FB. O pior de tudo, é que alguns comentários são mais ridículos que a própria propaganda. Estou estudando o caso de excluir algumas pessoas, que a meu ver, ao se expressar de determinada forma, não servem para ser meu amigo nem mesmo no FB. Felizmente, a maioria compartilha da nossa opinião. Não que ela seja a verdade absoluta, mas, porque podemos perceber que não são todas as pessoas que compactuam com essa cultura pobre, machista e de apologia à violência… Alguns publicitários, inclusive, manifestaram repulsa e vergonha pela classe. L.A.M.E.N.T.Á.V.E.L!!!!!!!!!

Elias

agosto 8 2013 Responder

O texto é falho, primeiro vc diz que a moça do comercial é ficante ou paquera do dono do carro , ou seja eles se já se conhecem, todavia em seguida vc faz uma comparação entre o comercial e uma situação real mas ao comentar a respeito da realidade em vez de dizer claramente que ambos se conhecem e o bla bla bla do começo vc fala em PRIMEIRO ASSEDIADOR e PRIMEIRO SUJEITO o q dá a intender que o sujeito do carro não é conhecido da moça, fora a questão do bom senso né
eles estavam flertando e a moça não é retardada ela CLARAMENTE demonstrou interesse e portanto entrou no carro , pois poderia muito bem ter recusado.

    Elias

    agosto 8 2013 Responder

    qq vcs acham pessoal?? por favor comentem ai pra gente da uma discutida e tenta progredir!

    Robson Fernando de Souza

    agosto 9 2013 Responder

    O comercial faz apologia pra que o homem avance livremente, como se fosse 100% certo que a mulher aceitaria ser tocada em certas partes. E a reação da moça é inverossímil.

Laura

agosto 3 2013 Responder

Concordo plenamente com o texto e com o comentário da Natália. Contribuindo à isso, também acredito que o comercial além de machista e fazer o homem se sentir no poder de cantar/assediar a mulher por ter um carro bom, “romantiza” a ideia da cantada que o homem faz pois é diferente do visto na vida real. Nós não somos todos modelos, e sim pessoas normais, algumas gordas, outras magras, feias, bonitas, novas ou velhas.
Talvez por eu ser bem nova note mais isso, porém, a maioria dos homens que me assediam na rua falando coisas, assoviando, buzinando e oferecendo carona são muito mais velhos do que eu. O que além de me deixar muito incomodada, também me assusta. E acredito que esse medo é uma das piores sensações possíveis de se sentir ao estar sozinha, na rua.

Natália Regina Salvator

agosto 2 2013 Responder

Excelente texto Robson! Concordo plenamente com a sua abordagem, já não bastasse o assédio e os abusos que uma mulher sofre no dia a dia, ainda me fazem uma campanha publicitária incentivando esse comportamento machista! Pode ter certeza que 90% das mulheres não gostam e se sentem ofendidas ao serem assediadas. Pior ainda quando o homem por ter o “carrão do ano” acha que pode buzinar e olhar a mulher de cima abaixo…

    Robson Fernando de Souza

    agosto 3 2013 Responder

    Obrigado, Natália =)

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo