06

set13

Daniela Andrade: Ser trans* é pedir “por favor” o tempo todo

simbolo-trans-1Daniela Andrade, devotada militante pela visibilidade e dignidade trans*, nos traz mais um texto sobre o preconceito sofrido pelas pessoas trans*. Como ela fala, ser trans* é pedir “por favor” o tempo todo.

 

Ser trans é pedir “por favor” o tempo todo
por Daniela Andrade

Ser trans é viver pedindo esmolas e favores:

Por favor, me trate como mulher.

Por favor, me chame de Daniela.

Por favor, aceite o desafio de me dar uma oportunidade de trabalho mesmo eu sendo trans e o mercado de trabalho ter tanto preconceito com a gente.

Por favor, você conhece alguma empresa que não discrimine pessoas trans para eu mandar meu currículo?

Por favor, preciso de um laudo que ateste que eu sou trans para eu usar na minha ação de mudança de documentos, é que só eu dizer que sou trans não é considerado válido.

Por favor, não me trate como doente.

Por favor, não me julgue pelo meu genital.

Por favor, não ache que meu genital define que sou homem.

Por favor, não faça piadas com a minha condição.

Por favor, não diga que eu deva aceitar discriminação SÓ por que as pessoas não conhecem o que é ser trans.

Por favor, não se assuste com meus documentos, eu sou a Daniela mesmo.

Por favor, preciso de um endocrinologista que possa fazer o acompanhamento médico da minha hormonioterapia. Você conhece algum endocrinologista que não tenha preconceito com trans e que saiba tratar as especificidades da hormonização de pessoas trans?

Por favor, você sabe se demora para eu entrar na fila da cirurgia de transgenitalização?

Por favor, você sabe por mais quantos anos terei que esperar na fila da cirurgia de transgenitalização?

Por favor, você conhece um cirurgião que trate as pessoas trans com respeito? É que estou cansada dos que nos discriminam.

Por favor, tenho que ir nesse ou naquele médico, você conhece algum que trate trans sem discriminar? Sem “errar” nosso gênero?

Por favor, será que tenho o direito de usar esse banheiro?

Por favor, nesse restaurante ou casa noturna que você está me convidando, há diferenciação de preço para homem ou mulher? Será que eles vão me discriminar?

Por favor, você conhece algum psicólogo ou psiquiatra que trate pessoas trans sem nos discriminar, falar que somos pessoas confusas por sermos trans, ou que somos doentes por conta disso?

Por favor, você sabe se impedem que mulheres trans* deem queixa nessa delegacia de mulheres? É que sei de muitas histórias de delegacias de mulheres que não acham que as mulheres trans* são mulheres.

Por favor, você pode não me tratar como profissional do sexo só por que eu sou trans? Até eu contar que era trans* você não estava me tratando assim.

Por favor, você poderia não usar como desculpa eterna para não me apresentar para os seus amigos e familiares o fato de eu ser trans?

Por favor
Por favor
Por favor

Antes de sair de casa, imagino qual será o próximo por favor. É preciso sempre fazer esses pedidos, até por que, se não vier um por favor no começo da frase, acham que estamos abusando, que estamos sendo muito agressivas, que devemos entender que os outros não conhecem a nossa condição [sempre precisamos entender o outro, mas o outro não tem a obrigação de nos entender], e mais das vezes parece que estamos pedindo um absurdo.

imagrs

1 comentário(s). Venha deixar o seu também.

mayara

abril 14 2016 Responder

parabéns amei

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo