12

set13

Papa Francisco reafirma que não cristãos podem ser “perdoados” e ir para o céu após a morte

papa-francisco-nao-cristaos

Em mais uma postura de conciliação com quem não segue os dogmas católicos/cristãos, o papa Francisco reiterou que os ateus – e outros não cristãos – podem ir para o céu e obter a salvação mesmo sem acreditarem no Deus cristão. Segundo ele, não é preciso acreditar nessa divindade, nem ao menos ter uma fé religiosa, basta que o indivíduo siga sua consciência.

Numa comprida carta aberta ao fundador do jornal italiano La Repubblica, Eugenio Scalfari, o papa falou (tradução livre), em resposta a uma lista de perguntas enviadas a ele:

Você me pergunta se o Deus dos cristãos perdoa aquelesq eu não acreditam e não trilham o caminho da fé. Eu começo dizendo – e isso é o fundamental – que a misericórdia de Deus não tem limites se você vai a ele com um coração sincero e contrito. O que aqueles que não acreditam em Deus precisam é obedecer à sua consciência. O pecado, mesmo para aqueles que não têm nenhuma fé, existe quando as pessoas desobedecem sua consciência.

A postura do papa pode ser uma guinada da Igreja Católica, temporária ou não, em relação ao respeito aos ateus, hoje em dia muito discriminados por cristãos, os quais por sua vez são costumeiramente incitados por padres e pastores a serem contra os descrentes e demonizarem a “falta de Deus”.

Eu pessoalmente não aprecio a instituição Igreja Católica, cuja história é manchada com galões e mais galões de sangue, cuja hierarquia é opressora e cujos princípios morais e clericais incluem a misoginia, a intolerância contra pagãos, o moralismo antissexual e a desvalorização do sublime ato de pensar por conta própria. Mas é de se elogiar ao ver seu representante supremo começando a sacudir a bandeira da tolerância e do respeito às diferenças.

Mas pode haver dois empecilhos nessa esboçada liberalização da ICAR: primeiro, a qualquer momento um porta-voz do Vaticano vai “desmenti-lo” de novo e desmentir o dogma da “infalibilidade papal”, de modo que o próprio pontífice, dito intermediador entre Deus e os católicos, seja desmoralizado e tenha seus esforços de promoção da tolerância abafados pelos interesses da instituição eclesiástica de manter os seus fiéis encurralados no medo de renunciar à fé católica/cristã. E segundo, pode haver um caminho muito comprido entre a liberalização do papa e a liberalização também das paróquias e dos padres, de modo que parem de incitar o preconceito contra ateus e outras pessoas que não acreditam no Deus cristão.

Não que eu acredite que a ICAR vai se redimir e se tornar uma instituição universalmente aceitável. Repudio o hierarquismo religioso e acredito que algum dia um novo cisma católico poderá originar uma denominação cristã libertária e horizontal, ou então os católicos que não morrerem católicos vão aderir a outras vertentes cristãs e não cristãs ou se tornarem irreligiosas, e a ICAR vai falir.

Além disso, é enorme a probabilidade de o liberalismo moral de Francisco ser apenas um surto, um morro de progresso ético-moral numa enorme planície milenar de conservadorismo intolerante. Eu não creio na redenção de uma instituição hierarquista, misógina, homofóbica, antirracional e muito opressora, mas acredito sim na possibilidade, ainda que com probabilidade baixa, de Francisco diminuir a intolerância religiosa, incluindo a ateofobia, nas igrejas de todo o mundo.

E você que leu esta notícia, qual sua opinião sobre a gradual liberalização católica promovida por Francisco?

imagrs

7 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Kenyo

dezembro 16 2014 Responder

Acredito que não passa de uma estratégia da igreja católica para “segurar” seus fiéis, já se sua maioria hoje convertem-se em protestantes. Ele está nada mais nada menos que tomando uma atitude de CEO de uma grande empresa (jogada de marketing).

costa

agosto 10 2014 Responder

Esse papa não sabe de nada inocente!

‘ a bíblia diz que aquele que crer e for batizado será salvo, porem aos que não crerem serão condenados’

explica isso ó santidade!!!

costa

agosto 10 2014 Responder

ESSE PAPA NÃO SABE DE NADA INOSENTE

    manuel

    outubro 30 2014 Responder

    Ofensas contra comentadorxs não são toleradas por aqui. Comente respeitando todo mundo, caso queira ter o direito de comentar por aqui. Comentário ofensivo apagado. RFS

Leandro

julho 11 2014 Responder

William,
O Japão manda lembranças!

Aguiar

outubro 29 2013 Responder

Comentário com pregação e intolerância religiosa apagado. Esse tipo de conduta não é permitido por aqui. Respeite as outras crenças e descrenças se quiser comentar neste blog. Primeiro aviso. RFS

William

setembro 17 2013 Responder

Interprete melhor pois a igreja sempre disse isso e nunca escondeu de ninguém. Preste atenção nesta parte: “a misericórdia de Deus não tem limites se você vai a ele com um coração sincero e contrito”,

ele quer dizer que, se mesmo durante toda sua vida você não acreditou em Deus, não foi um religioso, ao final de sua vida, mesmo minutos antes de sua morte, se você procurar Deus com sinceridade, com o seu coração se sentir arrependido e por fim aceitá-lo como verdadeiro, acreditar nele, você será perdoado e receberá a misericórdia de Deus.

Mas este sentimento tem que, obviamente, ser sincero.

Eu sou ateu, mas não sou ateu modinha/militante segidor da ATEA (uma vergonha) que odeia a igreja católica. Eu sei reconhecer a importância da igreja católica para a criação das bases fundamentais da nossa sociedade, sem elas, provavelmente viveríamos em mundos tribais como alguns povos ainda vivem na África.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo