04

set13

São Paulo: vereadores ligados à causa animal apoiam homenagem à ROTA

apoio-a-rota

Numa ação que deve estar deixando a comunidade defensora dos animais envergonhada, dois vereadores da cidade de São Paulo ligados à causa aprovaram a concessão da comenda Salva de Prata ao batalhão policial militar Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (ROTA), repudiado entre os defensores dos Direitos Humanos por promover truculência e assassinatos em comunidades pobres e ter dado suporte à ditadura militar. Os dois vereadores em questão são Aurélio Miguel e Roberto Trípoli.

Aurélio é reconhecido no meio protetor animal por apoiar iniciativas contra a exploração de animais em circos, o extermínio de cães e gatos em centros de controle de zoonoses e a exploração de animais para tração de carroças. E Trípoli, segundo seu site pessoal, “legislou sobre poluição do solo, aumento de áreas verdes, educação ambiental, proteção e preservação dos animais silvestres, controle populacional e propriedade (sic) responsável de animais domésticos, proibição da entrega de animais do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) para centros de ensino e pesquisa, além de estar sempre à frente de movimentos contra a caça, rodeios, farra do boi e touradas, animais em circos e pela humanização no trato dos animais abandonados”.

E a ROTA, além de ser alvo de repúdio por investidas assassinas em favelas (essa foi a mais recente que eu tive notícia) nas quais inocentes, em especial jovens negros, também são mortos, se orgulha, em seu site oficial, de ter participado da repressão contra guerrilheiros de esquerda na ditadura militar, chamando-os de “grupos terroristas”.

Lista de vereadores que apoiaram a concessão da comenda Salva de Prata à ROTA. O nome de Aurélio Miguel e Roberto Trípoli estão destacados. Clique na imagem para vê-la em tamanho completo

Lista de vereadores que apoiaram a concessão da comenda Salva de Prata à ROTA. Os nomes de Aurélio Miguel e Roberto Trípoli estão destacados.

A atitude de Aurélio e Trípoli macula severamente a defesa animal paulistana, que fica com sua reputação cada vez mais manchada pelo apoio de uma parcela de seus membros, incluindo os dois parlamentares, a ações fascistas e ideologias reacionárias. Gente assim termina por promover a separação de causas, desarmonizando a defesa dos Direitos Animais e dos Direitos Humanos e dando a impressão de que é possível libertar animais não humanos mantendo seres humanos sob exploração, miséria e violência tão hediondas quanto a promovida contra outros animais.

A libertação animal jamais acontecerá se for defendida separada da libertação humana. Não é razoável defender uma realidade em que os animais não humanos vivam livres e protegidos da exploração ao mesmo tempo em que animais humanos continuem sendo tratados como lixo. Tal realidade é tão opressora e injusta quanto a defesa dos Direitos Humanos dissociada do combate à exploração animal.

imagrs

1 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Thiago

setembro 15 2013 Responder

Muitas vezes quando vejo reacionários no Facebook, e tenho curiosidade de olhar todo o perfil dessas pessoas, para minha surpresa, percebo que a maioria faz postagem protestando contra maus tratos a animais.

Acho que nos dias de hoje, muitas pessoas sentem mais compaixão por bicho do que por gente!

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo