30

out13

Opositores do aborto propagam imagem falaciosa de Andrea Bocelli “salvo do aborto”

andrea-bocelli-aborto

 

A imagem acima vem sendo compartilhada bastante por pessoas “pró-vida”, contra o direito da mulher ao aborto. Ela mostra uma frase de Andrea Bocelli (que não é hoax) como se fosse uma “prova” cabal de que a mulher ter direito ao aborto é um absurdo: “Os médicos sugeriram a uma jovem mulher que ela abortasse porque o bebê nasceria com alguma deficiência. Ela se recusou. A mulher é minha mãe, e o bebê sou eu”.

Quem compartilha essa imagem como uma “grande prova” de que não vale a pena dar esse direito à mulher não está percebendo que está incorrendo num discurso falacioso. Pelo menos três falácias estão presentes aí:

a) Falácia do espantalho (criticar uma suposta característica criticável do outro lado a qual, na verdade, não existe): deixa a entender que quem defende o direito ao aborto também é a favor da interrupção da gravidez em casos de feto com deficiência(s) física(s) e/ou mentais. Em outras palavras, coloca na boca da militância pró-escolha palavras ditas por médicos preconceituosos que, ao que tudo indica, não têm relação nenhuma de aliança com o feminismo. O feminismo nunca andou de mãos dadas com o preconceito contra pessoas com deficiência. Procurar em sites feministas alguma pessoa defendendo o aborto de fetos com deficiência congênita vai resultar em nada fora a conclusão de que a imputação desse argumento à militância pró-escolha é mentirosa, pois não encontrará ninguém dentro do feminismo defendendo isso como motivo para abortar;

b) Inversão do acidente (tratar uma exceção como regra): trata um argumento extremamente excepcional, e destoante dos verdadeiros argumentos, para abortar alguém – o bebê nascer com uma ou mais deficiências – como uma regra, algo comum entre pessoas pró-escolha. Devo repetir aqui que virtualmente nenhumx feminista defende que fetos sejam abortados simplesmente por terem deficiência(s). Isso não é feminismo pró-escolha, e sim capacitismo;

c) Apelo à misericórdia: esse tipo de falácia é de lei em panfletos antiescolha. No caso dessa imagem, a mensagem interpretavelmente passada é: “Você não tem vergonha de matar (sic) um futuro gênio da música que vai sacudir o mundo? Não tem vergonha de fazer este mundo mais triste abortando potenciais gênios que o mundo vai amar?”

O direito à escolha da mulher entre abortar ou manter a gravidez não é fundamentado por mesquinharias e preconceitos, como o futuro feto/bebê nascer com características indesejadas pela família, e sim em casos de gravidez indesejada, que geralmente são envolvidos pela incapacidade psicológica, social e financeira da família – mesmo quando a família é apenas a mãe -, incluindo a necessidade de, numa situação carente de planejamento familiar, abandonar estudo, trabalho (a depender de qual trabalho a mulher esteja desempenhando) e sonhos de futuro.

No mais, quem compartilha a imagem mencionada está querendo dizer que, por causa de um único indivíduo, nascido em um caso extremamente específico em que estava em jogo não a falta de condições de nascer, mas o puro preconceito de médicos despreparados, milhões de mulheres devem ser forçadas a levar adiante até o fim uma gravidez indesejada, com muito sofrimento, e dar à luz uma criança que não encontrará amor e condições dignas de vida, mas sim rejeição e falta de condições materiais e imateriais (psicológicas, emocionais) de ter uma vida digna. Essa é a “vida” que pessoas que se dizem “pró-vida” estão defendendo.

imagrs

46 comentário(s). Venha deixar o seu também.

marcos davi

dezembro 5 2016 Responder

falaciosa foi a produção dessa matéria cujo título é mais sensacionalista do que a cobertura do programa da Sônia Abrão sobre a queda do avião com o Chapecoense. O título dá a entender que o Bocelli não foi quase abortado e que ele não é contrário ao aborto.

    Robson Fernando de Souza

    dezembro 5 2016 Responder

    Marcos, você sabe a definição de falácia?

Fabiana

dezembro 1 2016 Responder

Minha gravidez não foi planejada, foi de surpresa com um rapaz que conheci a pouco tempo, e foi uma gravidez difícil, pressão psicológica de todos os lados, um parto difícil, inconstâncias e muito psicologicamente abalada, pois não estava preparada, não pensava em ser mãe, mão quis ficar junto com o pai do bebê, e logo depois do parto extremamente difícil, e quase morte de ambos, mãe e bebê, em apenas 4 meses me separei do pai do meu filho, mas depois que ele nasceu Junto Nasceu uma MÃE, e por meu filho enfrento tudo, por ele sou uma pessoa melhor e tbem quero um mundo melhor para ele, um bebê é um anjo, uma criança é um anjo na vida dos pais, vieram para nós tornarem seres humanos melhores, quebrar a máscara da maldade que havia em.nos, o coração corrompido que o mundo nos deixou, o sorriso de uma criança do nosso.filho, derrete até os corações mais endurecidos, eu acredito que a humanidade tenha que evoluir e muito, mas evoluir de verdade mesmo, quando está mesma que defende a morte de milhares de inocentes, que nem ao menos defesa tem, para decidirem se querem ou não vir ao.mundo, são assassinados por aqueles que deveriam amar e cuidar, o dia que a humanidade praticar mais o amor assim se extinguirá as atrocidades comeditas pelo aborto e outros crimes, tantos métodos anticoncepcionais, tantos métodos como.camisinha, Abstinência sexual, é melhor ficar sem sexo do que colocar uma vida no mundo para sofrer, mas quem pensa assim não é mesmo, ” vamos transar irresponsavelmente e vamos abortar o LIXO depois” vamos transar porque não temos controle de nossos atos e depois descartamos o que ficou da mae natureza… plantou colheu… a lei do universo existe e ela cobra,. Mãe natureza chora por essas milhares de almas interrompidas, a mãe natureza chora e também castiga, pela irresponsabilidade e falta de amor que o ser humano tem para com seu próximo, muitos chorando a morte prematura de jovens jogadores, e defendendo com unhas e dentes a morte prematura de milhares de crianças que nem mesmo tem a oportunidade de vir ao mundo. Sejam elas portadoras de necessidades especiais ou não. Se vieram assim alguma licao tem de ser aprendida, tudo é para nós tornar seres humanos melhores, pessoas com coração mais amorosos. Vejo tanta maldade, tanta falta de amor nos comentários e no próprio texto que dá vontade de chorar. Triste

    Robson Fernando de Souza

    dezembro 1 2016 Responder

    Minha gravidez não foi planejada, foi de surpresa com um rapaz que conheci a pouco tempo, e foi uma gravidez difícil, pressão psicológica de todos os lados, um parto difícil, inconstâncias e muito psicologicamente abalada, pois não estava preparada, não pensava em ser mãe, mão quis ficar junto com o pai do bebê, e logo depois do parto extremamente difícil, e quase morte de ambos, mãe e bebê, em apenas 4 meses me separei do pai do meu filho, mas depois que ele nasceu Junto Nasceu uma MÃE, e por meu filho enfrento tudo, por ele sou uma pessoa melhor e tbem quero um mundo melhor para ele,

    Ou seja, se você viveu isso, todas as mulheres devem ser obrigadas a sentir e pensar o mesmo que você sobre gravidez não planejada e gravidez indesejada, é isso?

    um bebê é um anjo, uma criança é um anjo na vida dos pais, vieram para nós tornarem seres humanos melhores, quebrar a máscara da maldade que havia em.nos, o coração corrompido que o mundo nos deixou, o sorriso de uma criança do nosso.filho, derrete até os corações mais endurecidos,

    Mesmo bebês nascidos sob completa ausência de condições psicológicas familiares, como nascidos de estupros, relacionamentos abusivos e outros tipos de maternidade compulsória? Bebês que nascem porque a mãe foi proibida de abortar, quando eram embriões sem senciência, sob pena de sofrer as mais cruéis violências?

    eu acredito que a humanidade tenha que evoluir e muito, mas evoluir de verdade mesmo, quando está mesma que defende a morte de milhares de inocentes, que nem ao menos defesa tem, para decidirem se querem ou não vir ao.mundo, são assassinados por aqueles que deveriam amar e cuidar,

    Já dizia Jesus: “Tira primeiro a trave do teu olho, e então poderás ver com clareza para tirar o cisco do olho de teu irmão”.

    Defender a permanência da criminalização do aborto é defender necessariamente que mulheres e também crianças já nascidas e desamparadas morram em sofrimento excruciante. Nesse caso, você aceita que mulheres (que, ao contrário do que você insinua, não são criminosas) morram e crianças caiam em vidas miseráveis em nome da “defesa de inocentes” que sequer sentem dor e possuem consciência?

    E o pior, uma “defesa de inocentes” que nunca defende inocentes já nascidos?

    “o dia que a humanidade praticar mais o amor assim se extinguirá as atrocidades comeditas pelo aborto e outros crimes, tantos métodos anticoncepcionais, tantos métodos como.camisinha, Abstinência sexual, é melhor ficar sem sexo do que colocar uma vida no mundo para sofrer,”

    Esse amor não vale pras mulheres submetidas à maternidade compulsória e a gravidezes indesejadas? E é atrocidade deixá-las viver, ao invés de condenar à morte uma mulher já nascida e crescida e uma criança já nascida e em crescimento?

    mas quem pensa assim não é mesmo, ” vamos transar irresponsavelmente e vamos abortar o LIXO depois” vamos transar porque não temos controle de nossos atos e depois descartamos o que ficou da mae natureza…

    Falácia do espantalho. Mulheres que defendem a liberdade de escolher entre manter e interromper a gravidez não pensam assim sobre as razões do aborto.

    plantou colheu… a lei do universo existe e ela cobra,.

    Ou seja, você concorda com a misoginia dos homens que são contra os direitos reprodutivos das mulheres, é isso?

    Mãe natureza chora por essas milhares de almas interrompidas, a mãe natureza chora e também castiga,

    Ela não chora pelas mulheres que são condenadas ao sofrimento e à morte pela maternidade compulsória? A Mãe Natureza chora mais por embriões sem consciência do que por mulheres já nascidas e crescidas?

    pela irresponsabilidade e falta de amor que o ser humano tem para com seu próximo,

    Tal como você está tratando as mulheres que pensam diferente de você?

    muitos chorando a morte prematura de jovens jogadores, e defendendo com unhas e dentes a morte prematura de milhares de crianças que nem mesmo tem a oportunidade de vir ao mundo.

    Se embriões são crianças, então sementes são árvores?

    Sejam elas portadoras de necessidades especiais ou não.

    Segunda falácia do espantalho. Não se está defendendo aborto de fetos com deficiência.

    Se vieram assim alguma licao tem de ser aprendida, tudo é para nós tornar seres humanos melhores, pessoas com coração mais amorosos. Vejo tanta maldade, tanta falta de amor nos comentários e no próprio texto que dá vontade de chorar. Triste

    Palavra de quem, aparentemente sendo cristã, ignora o próprio Cristo, que diz que “Tire primeiro a trave do teu olho, e então poderás ver com clareza para tirar o cisco do olho de teu irmão (ou, neste caso, irmã)”.

ML

novembro 17 2016 Responder

Contra fatos não há argumentos.
Veja o vídeo nas palavras do próprio Andrea Bocelli
https://www.youtube.com/watch?v=y0XGwseYCWs

Carlos

novembro 10 2015 Responder

Olá!

sobre o post, penso o seguinte: ele é uma campanha contra o aborto, não há dúvidas. Até aí, nada demais. Há propaganda de todos os lados. Discordo, porém, dos argumentos apresentados.

a) Não se trata de uma falácia do espantalho. A posição pró-aborto não está sendo distorcida nesse caso. A mãe do Bocelli foi avisada que teria problema, se deparou com a possibilidade do aborto, e decidiu seguir em frente. Na defesa da liberdade da mulher em optar pelo aborto, no próprio post, são oferecidos motivos como problemas econômicos, sociais e psicológicos para a mulher. Um filho deficiente seria razão suficiente pra que se justificasse um aborto economicamente, socialmente e psicologicamente. Portanto não vejo a alegada distorção dos argumentos para caracterizar uma falácia do espantalho.

b) Não é uma exceção, é só um exemplo. Acredito que a quase totalidade das pessoas (no mundo… e na história…) agradeceriam suas mães por não terem abortado, ainda que a vida tenha sido difícil. No caso do Bocelli, sua mãe se deparou objetivamente com a questão em si durante a gestação. E pra sorte dele, ela seguiu em frente apesar das dificuldades.

c) Apelo à misericórdia não é nenhum problema, é? É o mesmo tipo de argumentação que ambos os lados fazem. A mãe que não tem dinheiro, vai passar fome, não vai dar educação, ou é jovem e não tem condições psicológicas, por isso deveria ter o direito de abortar… isso pra citar apenas os exemplos que foram dados no próprio post.

Acredito que quem defende a opção pelo aborto pensa exclusivamente na mãe, e quem é contrário ao aborto, pensa exclusivamente no filho. O primeiro grupo diz que gravidezes indesejadas devem ser interrompidas por quaisquer problemas que a mãe julgue relevante. O segundo grupo diz que gravidezes indesejadas devem prosseguir pois a criança não tem nenhuma culpa nessa história toda, não importam os motivos, e por isso não merecem ser mortas. Concordo com o segundo grupo. Nesse caso, sugeriria às mães que incorreram em uma gravidez indesejada, que não abortem, mas que, das duas opções abaixo, escolha uma:

– aprendam a conviver com as dificuldades da vida, aprendam a amar o bebê, mesmo diante dos muitos problemas que possam vir; conheço muitas pessoas nesse caso, muitas mesmo.
– em caso extremo, coloquem o bebê para adoção. Há milhões de pessoas no mundo que tentam a adoção de bebês. Não conheço ninguém nesse caso, mas conheço pessoas que já adotaram e outras que gostariam de adotar.

Minha esposa está grávida. Com 6 semanas, no primeiro exame de ultrassom, já ouvimos seu coração batendo. Hoje, com 5 meses, minha esposa sente ele se mover. É claro que é uma gravidez desejada e planejada, mas o principal ponto é que se trata de uma pessoa diferente de mim e diferente da minha esposa. Ele não é corpo dela. Ele é ele. Está lá por um período curto. Já vai sair. Não poderíamos simplesmente tirá-lo de lá e seguirmos nossas vidas, da mesma forma que tiraríamos um baço se estivesse com problemas. Ainda que fosse uma gravidez indesejada, assumiria as consequências, mas não poderia decidir sobre a vida de outro que não fez nada para estar lá. A “culpa” é de alguém: do homem que forçou, da mulher que quis, do fabricante de preservativos ou da pílula defeituosa, mas definitivamente a culpa não é da criança. Deve-se assumir a responsabilidade pelos próprios atos ou punir, se for o caso, o culpado, não o inocente.

    Robson Fernando de Souza

    novembro 10 2015 Responder

    Olá, Carlos. Respondendo:

    a) A falácia do espantalho se dá quando a imagem presume que as feministas reivindicam o direito à escolha entre manter ou interromper a gravidez simplesmente para discriminar futuros filhos com deficiência ou outra necessidade especial, e não pelos motivos que elenquei.

    b) Argumentei que o caso de Andrea Bocelli é uma exceção porque o desejo de eliminar potenciais filhos com deficiência é algo excepcional entre mulheres que desejam abortar. O exemplo dele como feto indesejado por ter deficiência é uma exceção, estatisticamente falando.

    c) A menção às dificuldades e inviabilidades de uma criança indesejada ser concebida e dignamente cuidada é objetiva, não é feita com fins de apelo e persuasão emocional.

    “Nesse caso, sugeriria às mães que incorreram em uma gravidez indesejada, que não abortem, mas que, das duas opções abaixo, escolha uma:
    – aprendam a conviver com as dificuldades da vida, aprendam a amar o bebê, mesmo diante dos muitos problemas que possam vir; conheço muitas pessoas nesse caso, muitas mesmo.
    – em caso extremo, coloquem o bebê para adoção. Há milhões de pessoas no mundo que tentam a adoção de bebês. Não conheço ninguém nesse caso, mas conheço pessoas que já adotaram e outras que gostariam de adotar.”

    d) Sinto em dizer, mas como homem cis você não tem condição de ditar (ou mesmo sugerir) o que as mulheres vítimas de gravidez indesejada “deveriam” fazer.

    e) Sua esposa é um caso. Mulheres vítimas de gravidez indesejada são inúmeros outros. Outras mulheres que estão grávidas por consentimento e desejo são outros casos. Você não pode imaginar que seu caso poderia se aplicar similarmente a outros, já que cada caso tem especificidades que pessoas “de fora” jamais vão entender e sentir integralmente (mesmo aquelas que têm empatia pela mulher que não quis engravidar).

    Lilian

    outubro 4 2016 Responder

    Concordo plenamente como que você expos, Carlos. Disse tudo. E da forma como está nesta postagem, parece que a falácia é sobre o Andrea Boccelli…estava pesquisando se realmente era verdade este relato dele, pois vemos muitas histórias “editadas” e até mesmo inventadas na internet, mas vi no youtube o vídeo dele contando a historia do seu nascimento e a questão do QUASE aborto é verídica. Não se está indo contra o direito da mãe abortar em caso de risco de morte, também não me oponho em caso de estupro, pois não estamos na pele da mulher para saber, só a vida dela pode responder por isso, na minha opinião como cristã seria o ideal valorizar a vida, mas não podemos julgar as pessoas, cada um tem livre arbítrio para escolher, mas no caso de aborto simplesmente por não querer a criança, por não ter sido planejado, acho errado, pois como você bem falou, a criança não é parte do corpo do pai e da mãe, ela já é um indivíduo, com direito à vida, e a pessoa precisa ser responsável pelos seus atos, por que não tomou providências para evitar a concepção? Então uma vida inocente será tirada pela irresponsabilidade dos pais? Não concordou. Sou sempre a favor da vida. Parabéns pela sua colocação e espero que seu filho ou filha esteja bem, sua esposa e família. Fique com Deus.
    https://youtu.be/QBVd1GExDHY

Karina

março 27 2015 Responder

Quando falam que legalizar o aborto seria legal para reduzir a criminalidade, pressupõe-se que já se tem certeza que o bebê ainda não nascido será um bandido por uma série de fatores.

Aí, quando o Andrea Bocelli diz que a mãe dele fez o certo, ele não está dizendo que “olha, eu sou especial, eu sou cantor, minha mãe sabia que eu seria especial”, mas exatamente o contrário: não temos controle sobre o que aquela criança virá a ser.

Então, o ponto crucial é: o aborto mata uma pessoa. Ponto Final. Se essa pessoa será um Andrea Bocelli ou um Fernando Beira Mar não interessa, é uma pessoa que merece escrever sua própria história e arcar com as consequências de suas próprias escolhas, e não de seus pais.

Ah, outra questão, dizer que o feminismo não anda de mãos dadas com o capacitismo é risível. Os primeiros defensores do aborto eram amiguinhos pessoais de Hitler e da galera eugenista, incluindo defensores do aborto para raças “inferiores” como os negros. Já citaram Margaret Sanger.

No mais, o dono desse blog é vegano. Engraçado isso, tomar leite e comer ovo é pecado mortal, matar um bebê, ahhhhh, isso é direito sagrado de escolha. Enfim, bom senso é a última coisa que eu espero encontrar nos “cerumanos” de hoje em dia :/

    Marta

    outubro 19 2015 Responder

    Excelente Karina!!!! Muitas palmas a vc!
    Não existe falácia nenhuma. E quem quiser ver o vídeo pode ver que realmente ele conta essa história. https://www.youtube.com/watch?v=y0XGwseYCWs
    Os pró-aborto que querem desqualificar tudo que apresentamos.

Fernanda

janeiro 30 2014 Responder

Muito bom o post, o melhor parágrafo foi o penúltimo! Bacana ter sido escrito por um homem. Compartilhado.

    Robson Fernando de Souza

    janeiro 31 2014 Responder

    Obrigado, Fernanda =)

      Victor

      novembro 15 2015 Responder

      Um homem que vem aqui só pra dizer que “tem nojo” de mim e ditar o que devo ou não devo escrever (além de não apontar nenhum erro no meu discurso tampouco por que teria errado) não é bem vindo aqui. Portanto, banido. RFS

Renata

dezembro 9 2013 Responder

Como se a questão fosse o que Bocelli disse ou deixou de dizer. Cada um tem a opinião que quiser.

O problema é partir de um contexto particular, para justificar o mundo.

Acho engraçado isso, quer dizer que a mãe do Bocelli quase privou o mundo da sua genialidade, como se sua vida estivesse determinada desde antes de seu nascimento. Quando foi concebido já estava certo que seria um grande cantor.

E já que estamos no mundo da especulação…

Quer dizer que se ele tivesse se transformado em um elemento socialmente perverso ninguém culparia a mãe por considerar o aborto?

Falácia é pouco.

    Fernanda

    janeiro 30 2014 Responder

    Grata pela sua lucidez, Renata!

Caroline

novembro 16 2013 Responder

Achei um pouco incoerente o entusiasmado ponto de vista contra o teor da imagem.
Explico: incoerente porque o conteúdo da ‘imagem’ traz tão somente a opinião de um indivíduo, que, claro, tem direito a se expressar…
Ainda mais, quando a alegação expõe a sua própria história…
Acho importante destacar que sim, a alegação é fidedigna, pois pertence mesmo a Bocelli.
O que me causou certo desconforto foi que a ideia de que quem compartilha da imagem/opinião de Bocelli são seres ingênuos, simplórios, suscetíveis a falácias e enganos, quando na verdade estão, conscientemente, expondo um ponto de vista, legitimamente, e que é apenas diferente do seu.

Gustavo

novembro 11 2013 Responder

Esse vídeo é fake também ou foi traduzido errado?
http://www.youtube.com/watch?v=QBVd1GExDHY

    Gustavo

    novembro 11 2013 Responder

    ah agora vi, vcs não afirmam que é fake, mas de qualquer forma essa frase vai contra o aborto sim, afirma que não devemos abortar um bebê que pode nascer com graves problemas e que tinha grandes chances de morrer, independentemente das dificuldades que a mãe teria em criá-lo… quem dirá então crianças que têm todas a chances de ter uma vida plena, só por causa da irresponsabilidade materna/paterna…

fernanda

novembro 11 2013 Responder

sou totalmente contra o aborto, exceto em casos que oferecem risco de morte para mãe ou bebê, ou até em casos raros de bebês anencéfalos ou parecido. se a mulher não tem condição psicológica, financeira, emocional, ou de qualquer outro tipo, ela tem sim o direito de não ter um bebê, fazendo da melhor forma possível: se prevenindo para não engravidar. se ela foi irresponsável o suficiente para engravidar sem querer, que agora seja responsável e cuide do bebê, vc deveria ter pensado que não tinha condição para criá-lo antes de engravidar. se a mulher engravidou por falha do método contraceptivo, bom, deve ter a consciência que isso é algo a que todos estão vulneráveis ao se iniciar a vida sexual, portanto, só a inicie quando tiver maturidade suficiente. lembrando que tudo isso vale também para os homens.

    Robson Fernando de Souza

    novembro 11 2013 Responder

    “se ela foi irresponsável o suficiente para engravidar sem querer, que agora seja responsável e cuide do bebê” – Casos de camisinha estourada ou um outro método contraconcepcional que falhou também é irresponsabilidade da mulher? Aliás, é a mulher que deve ser culpada nesses casos?

    “se a mulher engravidou por falha do método contraceptivo, bom, deve ter a consciência que isso é algo a que todos estão vulneráveis ao se iniciar a vida sexual, portanto, só a inicie quando tiver maturidade suficiente.” – Mulheres amadurecidas são imunes a falhas de métodos contraceptivos?

      Renata

      dezembro 9 2013 Responder

      Prezados,em assunto de aborto a carga ou a culpa sempre recai sobre a mulher, dificilmente se pondera que sempre há um homem envolvido na concepção de um feto.
      É sempre a mulher que devia ter pensado antes.

jhonny f.

novembro 5 2013 Responder

”O feminismo nunca andou de mãos dadas com o preconceito contra pessoas com deficiência.”

é mesmo?duas palavras:Margaret Sanger

    Robson Fernando de Souza

    novembro 5 2013 Responder

    Ou seja, por causa de uma pessoa, todo o feminismo é capacitista. É isso?

      Jhonny F.

      novembro 5 2013 Responder

      Nao afirmei que TODO feminismo é capacitista,apenas refutei a sua afirmação de que ”O feminismo nunca andou de mãos dadas com o preconceito contra pessoas com deficiência.”

      O fato é que Sanger foi essencial na discussão sobre ”direitos reprodutivos”, liberdade sexual ,alem de pregar o aborto eugênico,principalmente em mulheres pobres.

      Sua influencia no feminismo atual,no que se refere a esses tópicos e inegável.

    Gustavo

    novembro 11 2013 Responder

    hehehe

Jones

novembro 4 2013 Responder

Abortar = assassinar (os casos de necessidade são excessão).

    Gustavo

    novembro 11 2013 Responder

    isso mesmo fera!

Fernando Cônsolo Fontenla

outubro 31 2013 Responder

Acho que o mais grave disso não é nada do que o Robson falou. Na minha humilde opinião, o mais grave é deixar implícito que o aborto possa ser algo obrigatório, e portanto algo que proibiria a humanidade de ter novos gênios. Ora, Andrea Bocelli foi justamente um triunfo da legalização DA ESCOLHA entre o parto e o aborto! A mãe dele escolheu! É exatamente isso que as feministas querem!

Em resumo, com a legalização do aborto continuaremos a ter novos Bocellis.

    Robson Fernando de Souza

    outubro 31 2013 Responder

    Ótima colocação, Fernando =) Nem tinha pensado nisso ainda. Valeu ae =)

Charles

outubro 30 2013 Responder

Comentário reaça ofensivo apagado. Se não tiver condições de comentar aqui com civilidade, não comente. RFS

Daniel Amador

outubro 30 2013 Responder

Complementando (em relação às falácias):

a) Não identifiquei nada no cartaz que pudesse dar motivo para uma pessoa inferir o Robson afirma.

b) Por si só, não existe generalização. Talvez uma pessoa possa usar a frase do cantor lírico em uma argumentação, mas se o contra-argumento for convincente, isso será simplesmente refutado.

c) Mais uma vez, nada na propaganda dá margem a esse tipo de pensamento.

    ~epix

    outubro 30 2013 Responder

    Então você não prestou atenção na imagem. Há um logotipo de um movimento “pró-vida” na imagem. Um tal de “MOVIDA”. Isso já é mais que motivo para entender que se trata de um cartaz que argumenta contra a legalização do aborto.

    Sinceramente, só consigo ver suas afirmações como uma gigantesca desonestidade intelectual. Dizer que a imagem “não tem nada que possa inferir tal argumentação” é uma mentira esfarrapada e sabes disso.

    Sério, como olhar pra essa coisa e não perceber que se trata de uma imagem anti-aborto? É como dizer que comerciais especiais de fim de ano servem para alegrar as pessoas nessa época, e não para aumentar as vendas das respectivas empresas. Quanto nonsense.

    ~epix

    outubro 30 2013 Responder

    Agora se a afirmação em si foi feita com a intenção que a imagem imputou na mesma, é outra história. Mas em momento nenhum Robson disse que a afirmação argumentava algo exato, sim que a imagem argumentava algo usando a afirmação. São coisas diferentes.

      Daniel Amador

      outubro 30 2013 Responder

      Bem, eu não gosto de ir acusando as pessoas logo de cara. Veja que não ataquei e nem defendi a questão do aborto, porque esse não é meu objetivo. Desonestidade intelectual, pra quê? Relaxa, não estou xingando a mãe de ninguém aqui… e você dizer que eu estou mentindo sem “desmascarar” a mentira não valida sua acusação.

      É óbvio e evidente que eu percebi que a empresa que fez essa campanha é anti-aborto, embora esteja difícil de ler o slogan debaixo da logomarca. Direcionei minhas análises às supostas falácias apresentadas. Existe uma coisa que se chama escopo. Estou me restringindo à campanha publicitária. Quem fez ou deixou de fazer, isso não está em questão.

      Temos elementos na imagem que transmitem uma mensagem. O que eu disse é que eles são insuficientes para descrever tantas ideias assim. Além disso, não há problema nenhum em argumentar contra a legalização do aborto, o problema é usar de falácias para isso, coisa que não vi nesse cartaz.

        Daniel Amador

        outubro 30 2013 Responder

        Essa discussão me lembrou uma vez em que uma página de direita no Facebook publicou uma frase em que o Podré dizia que Karl Marx atrasou o desenvolvimento da humanidade em 1000 anos.
        Discordei, porque acho exagerado dizer que Marx só trouxe malefícios à humanidade. Mas o que deu de gente me chamando de socialista de uma figa, petista…
        Mesmo que responderam em português bem escrito, foram bem ríspidos e me acusaram de um infinidade de coisas que eu nem havia dito.

        Mas foi até interessante porque uma das pessoas no final até me recomendou alguns materiais interessantes pra se ler.

          Sergio Luiz Sant´Anna

          novembro 4 2013

          Quase tudo o que nós temos foi graças à guerra fria. Argumento falho do projeto de Pondé.

Daniel Amador

outubro 30 2013 Responder

Discordo de formo veemente das afimações desta página. Por mais que a campanha publicitária tenha uma finalidade, ela não desenvolve linha de argumentação alguma.

O escopo da mensagem da propaganda se resume à afirmação de Andrea Boccelli, acompanhada de sua foto e a organização por trás da mensagem. Talvez possamos dizer que a coloração esverdeada signifique algo, mas nada além disso. Então como pode haver falácia se não foi nem expressado um ponto de vista?

Andrea Boccelli fez uma afirmação. Como ela vai ser interpretada, depende do interlocutor.

    bela

    novembro 11 2013 Responder

    Mas a publicidade serve pra isso mesmo, pra distorcer a realidade, fazer com que o interlocutor tome como verdade aquilo que é enfiado guela abaixo.

Panorâmica Social

outubro 30 2013 Responder

Eu sempre acho um jogo sujo, um golpe rasteiro dos reacionários anti-aborto essas mentiras sem-vergonha que eles propagam em nome da causa.
Isso só tem uma razão de ser: a incapacidade de convencer as pessoas de seu ponto de vista de uma maneira lógica, racional e argumentativa. Só o apelo à emoção barata e o sentimentalismo mentiroso é o que vale.

    Robson Fernando de Souza

    outubro 30 2013 Responder

    Valeu ae =) Apelo à misericórdia é outra falácia que aparece nessa imagem. Vou acrescentar no post. []s!

Stéphano

outubro 30 2013 Responder

Excelente post! Eu não acredito que tantas pessoas vejam nessa imagem um argumento válido contra o direito de escolha das mulheres.

    Robson Fernando de Souza

    outubro 30 2013 Responder

    Valeu, Stéphano =)

Ana

outubro 30 2013 Responder

MINHA opiniao:
A imagem sequer cita feminismo.
A imagem ataca a posição de aborto por uma SUPOSTA deficiencia da criança. Além disso, o feminismo defende o aborto EM QUALQUER CASO (desde de que a mãe concorde, claro). Isso inclui o caso de suposta deficiencia da criança e que a mãe deseja abortar por esse motivo.

    Robson Fernando de Souza

    outubro 30 2013 Responder

    1. O direito à escolha entre abortar ou não abortar é uma das reivindicações do feminismo (e já conquistada em diversos países).
    2. O feminismo não defende capacitismo.

    Sergio Luiz Sant´Anna

    novembro 1 2013 Responder

    Robson,

    Do jeito que você se expressou, dá a impressão que aborto de feto anecéfalo é “capacitismo”…

    att

      Robson Fernando de Souza

      novembro 1 2013 Responder

      Anencefalia não implica deficiência, e sim a completa incapacidade do feto de continuar vivo depois de nascido.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo