24

nov13

R7 trata companheiras de esportistas como se fossem objetos deles

companheiras-objetos

Novamente o R7 investe no machismo numa matéria totalmente desnecessária e fútil, tratando namoradas, noivas e esposas de jogadores de futebol e pilotos de Formula 1 como se fossem objetos ou escravas sob posse dos seus homens. A “reportagem” em questão mostra-as como se fossem adornos, troféus deles, como coisas que podem ser compradas com dinheiro e fama e não teriam nenhum valor sem um companheiro famoso e rico.

A insinuação objetificante é escancarada, desde o título “Quem tem as mulheres mais gatas? Pilotos ou jogadores?”. As descrições das fotos das moças as tratam como se fossem campeãs de exposições de escravos (humanos ou não humanos), tendo como únicos valores estarem dentro do padrão de beleza vigente e serem companheiras de homens específicos, todos ricos e famosos. Chamam a atenção as descrições de Bruna Marquezine, que introduz a “reportagem” e fala que “Não importa o esporte, sempre algum atleta tem uma linda companheira”; de Dasha Kapustina, descrita como “de alto nível”; e de Irina Shayk, cuja legenda começa com “O que dizer desta bela moça, provinda da russa (sic)?”

Outro detalhe bastante visível da matéria é a exclusão racial, vide a ausência de moças não brancas no conjunto, sendo todas do padrão de beleza de mulher branca e magra. A “reportagem” mostra como machismo e racismo velado andam de mãos dadas ao julgar as mulheres pela sua aparência física – sendo as brancas indubitavelmente privilegiadas – e lhes reconhecer valor apenas na sua inclusão no padrão de beleza europeu e na qualidade de “posse” de homens endinheirados.

E curiosamente, no momento em que este post foi escrito, uma outra matéria igualmente machista figura como relacionada:

babi

Nessa outra galeria de fotos, Babi Muniz não é descrita por sua aparência física e pelos fatos de ser namorada de um jogador do Atlético Paranaense, ter posado para revistas masculinas e costumar ser ridicularizada no programa machista Pânico.

Protestos devem ser enviados aos comentários do compartilhamento da matéria no Facebook.

imagrs

2 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Eduardo

março 1 2015 Responder

Apesar do meu e-mail ser “R7” não vim defende-lo… kkk

Não sou machista, e na minha visão incluo os 2 gêneros, pois o dinheiro, o poder e o status de jogadores, pilotos, cantores e famosos em geral ( até Ex-bbb kkkkkkkkk onde vamos parar? ) atraem pessoas interesseiras… E não podemos negar que nesse meio artístico tudo é interesse!
Homens e Mulheres quem tem “a fama” atraí essas pessoas que se colocam no papel de objetos.
Lógico que não posso generalizar, pois existem aqueles que estão juntos muito antes da fama ou simplesmente tem a oportunidade de amar e conviver com quem tem um talento que sempre foi admirado de forma verdadeira.

Mas de toda forma é muito fútil e desnecessária essa matéria!

Que essas pessoas possam aprender a se valorizarem, pois vemos que a mídia e a esmagadora maioria das pessoas não dão o minimo valor ao que elas realmente são e sim ao que possuem e a quem as “possuem”!

Fernando Pinto

dezembro 25 2013 Responder

Comentário machistinha apagado. Dizer que “mulher gata é de fulano” é algo bem machista, e por isso não tolerado aqui. RFS

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo