23

fev14

As semelhanças entre o heterossexismo e a intolerância religiosa

Atualizado em 23/02/2014, originalmente postado em 14/08/2011. Originalmente só mencionava homofobia e homossexuais, o que foi corrigido com a inclusão de bissexuais.

Aviso: Antes de achar que o imaginado discurso religioso abaixo em itálico é meu, leia o texto inteiro.

Imagine alguém dizendo esse discurso:

Estamos numa democracia, temos liberdade de expressão garantida pela Constituição. Por isso sou contra o projeto de lei que estabelece a ditadura pagã. Como cristão que sou, criado desde pequenino com os mais sublimes valores cristãos, tenho direito de criticar os pagãos e o paganismo, e também de ensinar a meu filho pequeno que ser pagão é errado.

O paganismo é uma afronta às leis de Deus, que dizem que só devemos adorar ao Senhor como único ser passível de adoração. Diz Êxodo 20:3 e Deuteronômio 5:7: “Não terás outros deuses diante de mim”. E quem são os pagãos para negar as leis do único e verdadeiro Deus? O paganismo nunca foi natural, visto que o universo e a humanidade foram criadas por Ele, o Senhor, não pelos deuses demoníacos e inócuos do paganismo, e assim o natural e certo é nascer e crescer crente no único e verdadeiro Deus.

O paganismo é uma escolha, e uma escolha que desagrada a Deus deve ser combatida – assim tenho o direito de pensar. Tenho obrigação moral de levar os pagãos ao caminho correto, que é o temor ao Deus da Bíblia. E se me ignorarem, deverão pagar com a ira divina, seja por intermédio dos humanos como eu, seja lá no inferno, onde queimarão por toda a eternidade. Já dizia Jesus, aliás, em Marcos 16:16: “Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.”

O que é a lei dos humanos para me impedir de julgar e condenar o paganismo, essa afronta aos olhos de Deus, e orientar os pagãos à retidão perante o Senhor – gostem eles ou não? Que poder tem de me obrigar a deixá-los cultuando seus demônios, fazendo sacrifícios humanos, bebendo sangue de crianças em rituais satânicos, blasfemando contra o verdadeiro e único Senhor Deus?

Se essa lei passar, não terei mais o direito de dizer na minha Igreja que os pagãos são pessoas impuras, ímpias, pecadoras, vistas com maus olhos por Deus, condenadas ao inferno por sua iníqua descrença no verdadeiro Senhor e pela sua preferência por demônios. Por isso tenho o dever de lutar contra essa lei.

Se ela for sancionada, veremos os pagãos mandando à prisão qualquer um que não concorde com sua religião demoníaca, que tente convertê-los à palavra do Senhor, que lhes alerte de que irão para o inferno se não aceitarem Jesus como único Senhor e Salvador. Em seguida veremos os pagãos dominando o país, instaurando a ditadura pagã. Todos terão que ser pagãos como eles, adorar o diabo como eles.

Portanto, abaixo a lei da ditadura pagã! Abaixo os paganazistas (sic) que querem acabar com a liberdade de expressão e me obrigar a aceitar a existência do seu paganismo sem poder criticá-los!

Assim se comportaria um cristão fundamentalista diante da perspectiva de um país recém-democratizado aprovar uma lei que tornasse crime a intolerância religiosa.

Agora experimente substituir “paganismo” por “homossexualidade” ou “bissexualidade” – ou “homossexualismo”/”bissexualismo”, segundo a agressiva linguagem dos homofóbicos. “Pagãos” por “homossexuais” ou “bissexuais”. Os argumentos antipagãos pelos heterossexistas (contrários aos direitos e dignidade de todos que não são heterossexuais). As insinuações difamatórias à adoração de demônios e ao sacrifício humano pelas pejorações desrespeitosas ao sexo anal e acusações difamatórias de pedofilia. As referências bíblicas ao “pecado” do paganismo pelas que condenam a não heterossexualidade. O caráter de “não verdadeiras” das religiões pagãs pelas alegações de “antinaturalidade” do estilo de vida dos não héteros.

Fora a visão utilitária, influenciada pela moral cristã, que os heterossexistas possuem da sexualidade – segundo os quais o sexo teria função estritamente reprodutiva –, o heterossexismo e o alegado “direito de criticar” as orientações não heterossexuais têm tudo em comum com a intolerância religiosa e o suposto “direito” de alguém discordar que as pessoas possam seguir outras crenças.

Ou seja, estando no mesmo barco, na mesma categoria de intolerância, o heterossexismo e o preconceito religioso não fazem sentido. São igualmente irracionais. Consistem, da mesma forma, na arrogância do indivíduo de tentar controlar a vida alheia por motivos credocêntricos, falaciosos, pseudocientíficos ou meramente subjetivos. São duas formas semelhantes de se impor a outrem uma única visão religiosa e moral, muitas vezes estranha aos pacientes da ação intolerante.

Portanto, ambos deveriam se enquadrar na lei 7.716/89, que hoje criminaliza a intolerância religiosa mas ainda não pune o heterossexismo – motivo pelo qual eu defendo políticas públicas e leis que visem a correção dessa injustiça.

imagrs

5 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Filipe

fevereiro 23 2014 Responder

Sou cristão protestante e me interesso por assuntos polêmicos, pois acho que todos podemos aprender com eles.

Gostaria de trabalhar algumas ideias.

1 – O sexo não é meramente para a reprodução. Ele também é fonte de prazer para o casal. Isso é o que diz a doutrina bíblica. A doutrina também diz que o sexo é para ser praticado após o casamento, entre marido e mulher.

2 – Os mandamentos cristãos são para os cristãos. Quem não é cristão optou por não segui-los e eu lamento, mas não odeio essas pessoas, de forma alguma, nem quero puni-las;

3 – Não confundam Cristianismo verdadeiro com as barbaridades que homens fizeram em nome dele;

4 – Todo cristão verdadeiro ama sua fé e deveria expor suas ideias para ajudar os outros. Não se deve, de forma alguma, usar a fé para ameaçar outras pessoas. No entanto, cremos em céu e inferno; não avisar sobre isso seria criminoso, de acordo com a ótica cristã. Vocês conseguem entender isso?

Sigurd, o vingador

agosto 14 2011 Responder

Só lembrando que homossexualidade é um estado de comportamento, de nada tem a ver com a religião.
Se você ainda crê nessa ideologia medieva de que homossexualismo é doença e precisa ser punida, problema seu.

Mas não venha culpar a religião dos outros…
Pare e pense:
Se sua própria religião diz que todos são IGUAIS e só a deidade é superior. O que te dá o direito de julgar o que é certo e o que é errado?

Se você não sabe nem sequer crer na própria fé, não tem conhecimento suficiente pra questionar a fé de outros.

    Alessandra

    fevereiro 23 2014 Responder

    Leia o texto cara!!! Rsss

Sigurd, o vingador

agosto 14 2011 Responder

“Paganazistas”

Sinceramente…
Vocês cristãos não evoluíram nada desde a idade média.
Sempre querendo por a culpa dos próprios problemas em nós, sempre nos AMEAÇANDO com suas crenças. O que lhes dá o direito de acreditar que sua crença é maior que a nossa?

Você não sabe nem o que significa a palavra “pagão” e a usa com um sentido tão pejorativo…

O cristianismo é mais “pagão” do que qualquer religião tradicional de qualquer lugar do mundo. Por quê?
Por causa de sua campanha sincrética de dominação mundial. O cristianismo era o CAPITALISMO DA IDADE ANTIGA. Era uma maneira de se conseguir voltar um pobre camponês contra seu próprio povo e uma maneira de motivar os soldados à destruir uma nação que nunca os fez mal algum.

E só dando uma notinha a você:
Nazismo foi um movimento CRISTÃO!
Hitler era inspirado nos moldes do baixo império romano e sua campanha de extermínio aos judeus foi financiada ESPECIALMENTE pelo líder religioso cristão da época (O “papai” lá do vaticano).

    Robson Fernando de Souza

    agosto 14 2011 Responder

    Sigurd, creio que você não leu o texto por inteiro. Leia-o por completo, ou releia-o, pra entender a essência dele.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo