06

jun14

Recife vive dois “Pinheirinhos” em uma semana, um na Encruzilhada e outro no Cabanga

pinheirinhos-do-recife

Duas quintas-feiras consecutivas, duas cruelmente violentas remoções forçadas. Recife viveu, nos últimos 29/05 e 05/06, dois episódios parecidos com o fatídico Massacre de Pinheirinho – uma remoção ultraviolenta ocorrida na comunidade do Pinheirinho em 2012, em São José dos Campos/SP. Os despejos aconteceram primeiro na comunidade Vila Nova, que ocupava um terreno dito privado no bairro da Encruzilhada, e ontem foi debaixo do Viaduto Capitão Temudo, no bairro da Cabanga.

A comunidade expulsa da Encruzilhada era de sem-tetos integrantes do movimento Organização e Luta por Moradia Digna em Pernambuco, e foi recebida na manhã do dia 29 pela tropa de choque da PM, tendo sido usada uma truculenta força para a expulsão. Foram registradas as fotos abaixo, tiradas por Leo Motta:

E ontem foi a vez de moradores de rua que viviam embaixo do Viaduto Capitão Temudo (também conhecido pelos nomes Vd. Joana Bezerra e Vd. João Paulo II), perto de onde está acontecendo o #OcupeEstelita, como foi denunciado no blog Mídia Capoeira. Segundo o blog relata:

Os manifestantes acampados no #OcupeEstelita foram surpreendidos, na tarde desta quinta-feira, por uma operação ordenada pela Prefeitura do Recife para retirar um grupo de moradores de rua da área abaixo do Viaduto Joana Bezerra. Após indagarem funcionários a respeito do que ocorria e descobrirem que nenhuma documentação que garantisse a oficialidade da ação fora apresentada, tentaram estabelecer uma negociação dialogada.

Porém, os agentes do Governo Municipal persistiram na sua conduta de forma truculenta, o que provocou uma intervenção por parte dos ocupantes para garantir o direito à dignidade daquelas pessoas que tinham seus únicos pertences usurpados sem qualquer finalidade expressa. Enquanto se empenhavam em devolver aos seus donos os móveis, colchões e um frigobar que foram jogados na carroceria do caminhão de placa PGT-6766, que se encontrava estacionado na avenida José Estelita, alguns manifestantes acabaram sendo violentamente agredidos por golpes de foices desferidos por um dos agentes Gerência de Operações da Secretaria Executiva de Controle Urbano (GEOP/SECON). Dois deles acabaram feridos ao serem atingidos pela arma. Felizmente, os golpes não foram certeiros e o incidente não resultou em tragédia.

O sofrimento dos sem-tetos em Recife e em tantas outras cidades brasileiras tem sido cada vez mais severo. Os aluguéis e as parcelas de casa própria estão cada vez mais caros por causa da crescente bolha imobiliária, e isso tem acarretado a multiplicação de ocupações promovidas por sem-tetos, o crescimento das favelas e os alojamentos clandestinos em locais ambientalmente sensíveis. Enquanto isso, não há uma política habitacional robusta o bastante para amparar essa massa crescente de excluídos do direito à moradia – o programa Minha Casa, Minha Vida não parece estar funcionando tão bem quanto se desejava -, e a resposta mais notável do Estado a esse problema tem sido a repressão armada.

Consciencia.blog.br manifesta solidariedade a quem foi ou está sendo expulso de suas casas por um Estado que investe pouco e espanca muito.

imagrs

1 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo