27

out14

Beijinho no ombro, de um nordestino para os xenófobos que respondem com ódio à reeleição de Dilma

orgulho-nordeste

Saiba aqui como denunciar discursos de ódio contra nordestinos, negros, pobres etc.

Como nordestino, nascido no Recife e morador da mesma cidade, mando um beijinho no ombro, ao melhor estilo Valesca Popozuda, para aqueles que, com seu ódio xenofóbico contra nós do Nordeste, estão envergonhando a parcela honesta do povo brasileiro. Dilma venceu, e não será o ódio vindo de quem queria a volta da direita assumida ao poder que irá fazê-la desistir da presidência. Lidem com isso, e aprendam o que são a democracia, a civilidade e, sobretudo, a dignidade.

Tenho orgulho de ser nativo e habitante de uma região que, mesmo tendo passado por muitas privações e sido esquecida pela maioria dos presidentes antes de Lula e Dilma, sempre resistiu e buscou sua redenção. O povo daqui é um povo que luta, em todos os sentidos – desde por uma vida minimamente digna, até pela resistência perante os desmandos de quem exerce pela política poderes opressores. E lutaremos vigorosamente também contra todo mundo que vier declarar ódio contra nós e desejo de nos eliminar separatisticamente do território brasleiro – tendo, quando necessário, a ajuda dos movimentos antifascistas.

Do alto de sua ignorância histórica, política, sociológica, antropológica, econômica e tudo o mais que há de ciências humanas, essa raivosa parcela do eleitorado do PSDB está declarando hostilidade contra quem lhes permitiu, ao longo, no mínimo, dos séculos 19 e 20, que pudessem estar hoje vivendo uma vida confortável de classe média, média-alta ou alta. Desconhecem, ao pior estilo “ignorância + medo = ódio”, que foram os migrantes nordestinos que tornaram São Paulo a cidade mais rica do Brasil, o coração financeiro do país, a quarta capital nacional de fato – ao lado de Brasília (capital administrativa atual), Rio de Janeiro (antiga capital administrativa, desde o Brasil colônia até 1960) e Salvador (capital no início da era colonial). Se não fossem meus conterrâneos e seus descendentes, São Paulo jamais teria a importância, nem sua qualidade de metrópole global, que ostenta hoje.

Ao declararem seu ódio contra nós e nossos antepassados, os xenófobos eleitores frustrados de Aécio Neves, José Serra, Geraldo Alckmin etc. – seja como presidentes, seja como governadores ou senadores – mostram-se pequenos. Muito pequenos, seres risíveis e irrisórios quando comparados aos gigantes nordestinos que ajudaram essencialmente o Centro-Sul a engrenar e experimentar aquilo que chamam de desenvolvimento.

Os nordestinos têm infinitamente mais relevância para o povo brasileiro do que aqueles que os odeiam. E, como fica cada vez mais claro para quem tem o mínimo de noção de História do Brasil, existe uma dicotomia entre o povo da minha região e aqueles que o odeiam: o primeiro edifica o Brasil e faz de tudo para que esse país se torne mais justo, solidário e pacífico; e os últimos “trabalham” ativamente pela destruição do país e de sua sociedade, seja pelo empobrecimento da população, seja por sua degradação ética, seja pelo seu afundamento na violência, seja até mesmo – em alguns casos – pela sua hipotética desintegração territorial.

Então fica o recado: quem odeia o Nordeste e, falaciosamente, numa típica projeção psicanalítica, culpa-o pelos problemas do país, precisará comer muita comida nordestina vegana – acarajé, bobó, cocada, baião-de-dois etc. – e estudar muito História do Brasil – em livros de historiadores realmente sérios e confiáveis, não os autores de “guias politicamente incorretos” – e, claro, matar e enterrar esse ódio, se quer ter um pouquinho, que seja, da dignidade que nós nordestinos temos. Daí, beijinho no ombro para quem, no fundo, está com recalque e inveja contra nós desse bravo e resiliente Nordeste.

imagrs

8 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Nome (necessário)

maio 10 2016 Responder

Eu concordo com o que foi dito a respeito da opiniao de algumas pessoas, as que mencionaram as diferenças entre as regiões brasileiras. Apesar das regioes sul e sudeste serem um pouco mais populosas e desenvolvidas, isso nao quer dizer que necessariamente tem pessoas melhores e superiores a tudo. Sou sudestina, nascida na cidade de sp, mas tive oportunidade de conhecer o nordeste. Os nordestinos realmente sao pessoas simpaticas, acolhedoras, embora la exista algumas dificuldades, elas lutam e trabalham tanto quanto nos do sudeste. Nordeste tambem tem praias lindissimas e nao tem poluiçao tem locais muito bonitos por ali. Sao pessoas mais simples, humildes e que tambem tem suas qualidades boas. Pensando bem a regiao sul e sudeste tambem tem la seus problemas sociais. É preciso sabermos conviver com as diferenças e acabar com os preconceitos e desigualdades sociais.

Tarantino

agosto 6 2015 Responder

Engraçado vir aqui falar de xenofobia ao mesmo tempo em que fica pondo lenha na fogueira desse assunto.
Isso é estratégia do PT, dividir para dominar. É preto contra branco, gay contra hétero, paulista contra nordestino…e vocês todos caem como patinhos.
Escrevo isso agora, 1 ano depois da eleição da Dilmanta. Será que alguém se arrependeu de ter votado na energúmena?

Filipe

novembro 5 2014 Responder

Então Robson, a questão separatista já é antiga. O pessoal do Sul e Sudeste achar que sustenta o Norte e Nordeste eu ouço desde criança. Essa eleição apenas trouxe isso a tona. Aparece mais em quem votou no Aécio, mas muitos que votaram na Dilma pensam assim também. Isso ficou mascarado porque estavam do mesmo lado. Na internet, é mais fácil falar em ódio, mas a maioria não odeia os nordestinos; odeia a ideia que estar sendo explorado. E grande parte do Nordeste votou em um partido que o sul reprovou, porque acha que está sendo explorado. No meu município, foi 70% Aécio. Era normal essa separação.
Também tive relatos de preconceito de nordestinos contra o pessoal do sul. Se não me engano, já vi na internet algo sobre um movimento separatista nordestino. Você já ouviu falar?

    Robson Fernando de Souza

    novembro 5 2014 Responder

    Filipe, se há preconceito inverso nordestinos=>sul-sudestinos, é muitíssimo menor do que o preconceito de sul-sudestinos reacionários contra nordestinos. O máximo de “movimento separatista nordestino” que vi foi uma música de protesto que almeja justamente mostrar a força do Nordeste contra os preconceituosos que vivem depreciando a região.

Filipe

novembro 4 2014 Responder

Além disso, você não acha que essa foi a campanha do ódio contra a Marina e depois contra o Aécio?

    Robson Fernando de Souza

    novembro 5 2014 Responder

    O artigo foca o ódio que veio de eleitores de Aécio contra os nordestinos, e não sobre todas as frentes de ódio político (tucano e petista) que haviam agido durante a campanha eleitoral.

Filipe

novembro 4 2014 Responder

Olá Robson, td bem?
Puxa, você não acha que acabou exaltando os nordestinos mais que os outros brasileiros?
O que muitos alegam é que os investimentos que são feitos no nordeste são superiores à sua arrecadação. SP, por exemplo, paga muito mais impostos do que os recebe de volta, em investimentos. Daí estados como SP tem o sentimento de levar o Nordeste “Nas costas”.
Como você vê essa questão?

    Robson Fernando de Souza

    novembro 5 2014 Responder

    Oi, Filipe. Exaltei o povo nordestino como tendo uma importância fundamental pro “desenvolvimento” do país e, destacadamente, em São Paulo. Não procurei falar de pessoas de outras regiões, mas sim colocar a dicotomia “nordestinos X a parcela dos sul-sudestinos que odeia os nordestinos”.
    Quando aos investimentos, não é desculpa pra declarar ódio a uma região e a seus habitantes.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo