27

out14

Eleitores reacionários de Aécio declaram ódio à democracia e pedem por impeachment ou golpe militar contra Dilma

odio-democracia

Incapazes de respeitar a ética da democracia e as próprias leis que a regem, muitos antipetistas fanáticos estão pedindo pela derrubada ilegal da presidenta reeleita Dilma Rousseff, depois que o candidato deles, Aécio Neves, perdeu no segundo turno das eleições presidenciais de ontem. Alguns estão pedindo por um impeachment arbitrário contra ela, enquanto outros clamam por golpe militar. Paralelamente a isso, muitos outros reacionários, dotados do mesmo espírito protofascista, estão manifestando desejo pela cisão territorial do Brasil.

Numa atitude completamente de “maus perdedores”, está-se pedindo que Dilma seja removida à força, e contra a lei. Tudo isso simplesmente porque Aécio Neves, o que se autoarrogava incumbido da missão de “libertar o Brasil do PT”, foi derrotado por pouco mais de 3,4 milhões de votos de diferença.

Alguns estão assinando um abaixo-assinado (link para um “espelho” do abaixo-assinado, cujo link original não divulgarei aqui) que clama por um impeachment completamente ilegal. Desprovida de qualquer acusação criminal investigada, provada e julgada, a petição menciona, como motivos para a “sonhada” derrubada de Dilma, o “idealismo esdrúxulo do PT” e os gastos na Copa do Mundo deste ano.

E declara como objetivo, numa ignorância visível a quilômetros de distância, “acabar com a corrupção, desvio de dinheiro público, sucateamento da saúde, das estradas, da educação, segurança pública e outros”. “Discursa” como se o PSDB de Aécio e de vários governantes locais e parlamentares atualmente no poder e/ou (re)eleitos fosse um partido livre de gente cometedora de abusos desses tipos.

Outros estão “confirmando” presença em protestos de rua que pedem, baseados no mesmo desconhecimento da lei, a deposição da presidenta por meios civis também arbitrários. Um desses protestos, realizado hoje na zona oeste de São Paulo capital, havia tido mais de 30 mil participantes “confirmados”, mas só reuniu na rua em torno de trinta. Uma das manifestantes lamentava, segundo O Globo, que Dilma “não fez nada pelos eleitores ricos”.

Enquanto isso, a página do Exército brasileiro está sendo invadida por centenas de comentários de pessoas dotadas de um ódio à democracia ainda mais espinhoso. São pedidos por golpe militar, como os comentários dessa imagem e dessa também. Os comentadores demandam que a Constituição Federal seja rasgada e, por causa unicamente de um resultado eleitoral que não lhes agradou, as forças armadas derrubem o Estado democrático e restaurem a ditadura civil-militar que terminou em 1985.

E uma outra parcela desse eleitorado “mau perdedor”, possuidora do mesmo horror à democracia e à própria lei que dizem respeitar, vem pregando separatismo. Uns defendem a divisão do Brasil em dois países – um que inclui o Norte, o Nordeste, Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro, parcela que votou mais em Dilma; e outro que inclui o Centro-Oeste, São Paulo e o Sul, que votou mais em Aécio. O famigerado Coronel Telhada, um dos mais votados para deputado estadual de São Paulo, também sem aceitar o resultado das urnas, defendeu a separação de seu estado do território nacional, desejando a violação da Lei 7.170/83, Artigo 11 (Tentar desmembrar parte do território nacional para constituir país independente – Pena: reclusão, de 4 a 12 anos).

Essas pessoas estão envergonhando inclusive milhões de outros eleitores de Aécio, os quais estão aceitando, como respeitadores da democracia, o resultado eleitoral. E demonstram que não suportam viver num país que oficialmente é um Estado Democrático de Direito – ainda que os dispositivos de influência popular no regimento político hoje vigentes sejam restritos a recursos como o voto das eleições, plebiscitos e referendos e a assinatura de projetos de lei de iniciativa popular.

Vale mostrar que esse fenômeno social de fanatismo político disseminado tem como um dos responsáveis o próprio governo petista de Lula e Dilma, que se omitiu na importante questão da democratização da mídia e do controle social do atual oligopólio midiático. A imprensa dominante, controlada por algumas poucas famílias mi ou bilionárias, tem induzido diuturnamente a adoção de convicções fanáticas de ódio ao PT, por mais capitalista e aliado de parlamentares conservadores que o governo Dilma tenha sido nesse primeiro mandato.

E para piorar, a presidenta reeleita já deu sinais de que sua guinada à esquerda, sonhada por milhões de brasileiros, vai ser bem difícil. Deu hoje uma entrevista exclusiva ao Jornal Nacional, da mesma Globo que havia frequentemente tentado derrubá-la na corrida eleitoral. E nela prometeu “dialogar com os setores empresariais, financeiros, com o mercado”, omitindo qualquer declaração sobre a esquerda que a apoiou criticamente no segundo turno e as minorias políticas marginalizadas em seus primeiros anos de governo.

Pelo que isso indica, o caldeirão de ódio antidemocrata e antipetista fanático vai continuar borbulhando cada vez mais daqui para 2018. Dilma dá sinais nítidos de que quer permanecer em sua política de apaziguamento conservador que só fez desgastar o PT e fazê-lo perder governadores, senadores e deputados em vários estados e quase lhe custou as eleições presidenciais deste ano.

A população politicamente sóbria, seja ela de esquerda, centro ou mesmo direita, observa de longe esse teatro de horrores interpretado por gente reacionária que acredita que viver numa democracia só é bom se suas vontades pessoais forem atendidas. E está atenta para ver até onde esse ímpeto golpista se caracteriza como uma inócua palhaçada e não começa a se converter numa concreta ameaça autoritária, um ensaio de fascismo brasileiro.

imagrs

18 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Romu

novembro 15 2014 Responder

Comentário homofóbico apagado. Não vamos combater a opressão da direita com outros tipos de opressão, ok? RFS

Carlos Alberto Monteiro da Silva

novembro 5 2014 Responder

Comentários reacionários anti-Direitos Humanos não são admitidos por aqui. Vá postar comentários ou textos dessa estirpe em blogs reacionários de direita, não aqui. RFS

    Roberto Gurgel

    agosto 31 2015 Responder

    Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo! Essa declaração não é verdadeira, esse blog é reacionário de direita a favor do Governo e de Dilma. Não há nenhuma seriedade aqui.

    Carlos Alberto Monteiro

    setembro 24 2015 Responder

    Comentários reacionários de direita? Sr. o que leva a pensar que sou reacionário e de direita? O Sr. está equivocado, sou brasileiro e indignado com o que vêm acontecendo neste país e sustentado por idiotas de plantão que defendem o PT e o atual governo. Lamentável sua declaração sobre minha opinião.

marcos

novembro 3 2014 Responder

Acusação caluniosa contra o deputado Jean Wyllys apagada. Se você não quer ser investigado, então não venha trazer mentiras contra o deputado nem contra ninguém. RFS

Gabriel

novembro 1 2014 Responder

Nossa mais quanta baboseira hein minha gente, impeachment da presidenta Dilma, mas que história é essa vocês fumaram ?! O pior é ainda ter que ouvir que é constitucional intervenção militar, pessoal acorda independente das SUPOSIÇÕES DE CORRUPÇÃO a presidente ganhou as eleições de forma democrática, ou seja, a maioria do Brasil a escolheu, isso para mim esta parecendo ressentimento de quem não aguenta perder e fica de mi mi mi, eu sou Dilma e esse o Aécio tivesse ganhado ficaria triste sim mais aceitaria numa boa porque se o povo escolheu, escolheu e pronto, vamos aceitar as coisas, acredito que todos tem mais o que fazer !

JURANDIR

novembro 1 2014 Responder

EU INDICO O TIO O AECIO PARA MINISTRO DA INFRAESTRUTURA. ELE CUIDA DA CHAVE DO AEROPORTO DA FAMILIA .

PEDRO

novembro 1 2014 Responder

QUE ISSO MINHA GENTE O SEGUNDO LUGAR TAMBEM É DIGNO.

Ivana

outubro 31 2014 Responder

Não há pejorativo para definir tais pessoas golpistas. Elas têm de lembrar que o tiro pode sair pela culatra.

Maria

outubro 29 2014 Responder

Nós que votamos no Aecio sempre respeitamos a campanha harmoniosa e respeitosa dele. Buscamos a democracia que iremos terminar de perder com um STF com todos os membros indicados pelo PT e conselhos populares imbutidos no congresso por decreto presidencial.

Alexandra

outubro 29 2014 Responder

Priscila, acho que não estamos falando da mesma constituição….

Ocimar

outubro 28 2014 Responder

Somente com muita má fé para ver no art 1. E art. 142 da constituiçao federal qualquer legitimidade legal e democratica numa intervenção militar. Se ocorrer é golpe militar que sem dúvida alguma, jamais será endossada pela comunidade internacional. Levando o pais novamente ao status de republiqueta de banana.

Ronaldo

outubro 28 2014 Responder

As vêzes dá vontade de viver em uma tribo indígena! Lá a gente pode discutir tudo numa boa, todo mundo se conhece e trabalha junto. Aqui, no Brasil, os políticos se julgam donos do poder e o cidadão tá longe de uma verdadeira vida social. Isto é democracia?

    Priscila

    outubro 28 2014 Responder

    Bem tendencioso este blog. Não sou a favor de nenhum discurso de ódio, como jamais fiz. Estamos todos exercendo nossos direitos democráticos, clamando por algo previsto na constituição. Interessante não mostrar imagens de petistas fazendo discurso de ódio na página do exército, inclusive afirmando que a ditadura comunista tem mesmo que tomar conta de tudo. Mostre tudo, e não apenas o que lhes convém !

    INTERVENÇÃO MILITAR é diferente de golpe militar.

    1) Intervenção militar precisa que o povo exija isso. Do contrário seria golpe militar.

    2) Tem amparo constitucional nos artigos 1º e 142.

    3) É uma forma de demitir o governo, e você tem direito de demitir a presidente da república, caso o congresso ou o judiciário não o façam.

    4) Os motivos da demissão já são bem claros. Basta você se informar das violações à constituição feitas pela presidente e da conspiração para um golpe de Estado feita por ela com o PT.
    (Veja sobre o Foro de São Paulo.)

    5) Após a demissão, em 60 dias deverão haver novas eleições para o cargo.

    6) É preciso que o povo clame isso ao exército.

    Isso é totalmente constitucional, de direito de todo e qualquer brasileiro.
    Inconstitucional é incitação ao ódio, que tem ocorrido das duas partes. Basta entrar na página em questão e ver, e se possível, mostrar os dois lados da moeda. Ou incitação a violência só é crime quando vem de quem não apoia o PT ?

      Robson Fernando de Souza

      outubro 28 2014 Responder

      Priscila, gostaria de saber onde essas descrições de uma intervenção militar de deposição presidencial (a.k.a. golpe) são legitimadas pela lei. Não valem leis da ditadura militar já revogadas.

      Fernando

      outubro 29 2014 Responder

      Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.

      ONDE ESTÁ FALANDO QUE INSTAURAR UM GOVERNO MILITAR SOBRE UM GOVERNO ELEITO DEMOCRATICAMENTE É PERMITIDO?
      Este início de artigo apenas diz que as Forças Armadas são UM (apenas um de vários) instrumentos de garantia dos poderes constitucionais e da lei e da ordem.

      O ARTIGO AINDA AFIRMA QUE AS FORÇAS ARMADAS SEMPRE DEVEM AGIR A MANDO DO GOVERNO ELEITO:
      “As Forças Armadas (…) são instituições nacionais permanentes e regulares (…) SOB a AUTORIDADE SUPREMA do PRESIDENTE DA REPÚBLICA”.

      NÃO EXISTE INTERVENÇÃO MILITAR CONSTITUCIONAL, ISSO É VIAGEM.

      Fernando

      outubro 29 2014 Responder

      O que o artigo 142 permite é que militares fora de serviço possam se candidatar. Ou seja, precisam ser filiados a partido polítco e concorrer a uma vaga NUMA ELEIÇÃO.

      Sandro

      novembro 5 2014 Responder

      Priscila,
      Mandou bem.
      Seja como for, esse blog é totalmente tendencioso. Como você bem disse “incitação à violência só é crime quando não vem de quem apoia os ptralhas. Aliás, vindo deles, todo e qualquer crime foi e continuará sendo perdoado e justificado. Quem se manifestar contrário, é antidemocrata.
      Esse país está, de fato, totalmente corrompido. É a total inversão de valores. Legado que do pt.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo