20

nov14

Página da OAB/SE no Facebook passa vexame no Dia da Consciência Negra por tentar silenciar discussões sobre racismo

negacao-discussao-racismo-oabse

Atualização (20/11/14, 16h53): A imagem foi apagada, e uma retratação foi postada.

Pouco depois da meia-noite de hoje, a página da OAB/SE (Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Sergipe) no Facebook fez uma “homenagem” indigesta e vexaminosa ao Dia da Consciência Negra. Postou uma mensagem em formato de imagem que manifesta a intenção de não falar sobre racismo hoje, como maneira de “viver um mundo sem racismo”.

A imagem (no topo deste post, acima da legenda) manifesta a falta de noção da entidade – ou de quem falou em nome da OAB/SE – sobre a imperatividade da necessidade de se colocar o racismo brasileiro na ordem do dia das discussões de Direitos Humanos.

Ligando-se a tecla SAP, podemos perceber que a frase em questão carrega ela própria um racismo velado. Passa a ideia de que o racismo vai acabar quando os movimentos negros calarem a boca.

Induz à crença de que o mundo “não vai mais ser racista” se a população negra como um todo parar de se queixar, por exemplo, da discriminação em ambientes de classes média e/ou alta, da pouca presença e representação negras em posições de poder, do extermínio de jovens negros nas periferias, da desproporcionalidade entre as porcentagens de negros e brancso na população total brasileira e as de negros e brancos em bairros pobres (grande maioria negra) e de classes mais endinheiradas (grande maioria branca), da discriminação da beleza negra em favor do padrão de beleza branco eurocêntrico, entre outras manifestações do racismo institucional no Brasil e em tantos outros lugares do mundo.

Ignora que o efeito da tal crença é exatamente o inverso: se a luta contra o racismo for silenciada, os racistas se sentirão ainda mais livres para discriminar e oprimir a população negra, e esta ficará condenada à submissão.

A infeliz postagem da OAB/SE ficou abarrotada de comentários de protestos. Muitas pessoas, entre negras indignadas e brancas solidárias com a indignação delas, estão mostrando sua frontal e completa discordância perante a tentativa da entidade de recomendar o silêncio sobre o tema.

A repercussão foi tão desastrosa que, no começo da tarde, a OAB/SE se sentiu obrigada a remover a veladamente racista imagem. E publicou a seguinte nota de retratação (dividida em parágrafos por mim), em nome do presidente da seccional do Sergipe:

NOTA DE RETRATAÇÃO PÚBLICA

O presidente da OAB-SE, Carlos Augusto Monteiro Nascimento, vem a público apresentar retratação à postagem alusiva ao dia da Consciência Negra, feita através da página do Facebook da Instituição, que gerou manifestações contrárias de diversos internautas por afirmar que para viver num mundo sem racismo, o primeiro passo é não falar sobre ele.

Gostaríamos de reconhecer, perante todas e todos, o erro na escolha e elaboração da frase da nossa campanha sobre essa importante data e informar que estamos lançando uma nova campanha, intitulada “Dia da Consciência negra para a OAB-SE é momento de reconhecer os negros que construíram e constroem um Sergipe sem discriminação racial”, onde serão apresentadas as trajetórias de vida, resistência, luta pela cidadania e por direitos, de personalidades negras que marcaram e marcam a história passada e presente do nosso Estado, com o objetivo de mostrar que na luta contra o racismo a pior atitude é ser omisso ou querer esconder a questão sob o mito da democracia racial e da falácia igualdade formal de todos perante a lei, pois o que devemos fazer é mostrar que a sociedade brasileira ainda possui números inaceitáveis de desigualdade entre as raças e que precisamos de mais debate e mais políticas de enfrentamento ao racismo.

Aproveitamos a oportunidade, ainda, para informar que esse equívoco não deve apagar o fato de que a Seccional Sergipe da Ordem dos Advogados do Brasil foi uma das primeiras no país a instituir uma Comissão especial sobre igualdade racial e combate à intolerância religiosa.

O presidente Carlos Augusto Monteiro Nascimento assinou no dia 11 de novembro de 2011, a Portaria n.º 117/2011 que instaurou a Comissão de Igualdade Racial, presidida pelo advogado Ilzver de Matos Oliveira, doutor em Direito, professor universitário e militante do movimento negro sergipano – intencionalmente se instaurou a Comissão em 2011, porque ele foi considerado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Ano Internacional do Afrodescendente, e no mês de novembro, por ser o Mês da Consciência Negra.

Desde então essa importantíssima Comissão tem sido a responsável dentro da OAB-SE por alguns desafios: acompanhar e fiscalizar as políticas públicas relacionadas à educação sobre aspectos raciais e étnicos; averiguar as situações de intolerância religiosa ou cultural; observar, da mesma forma, as políticas de saúde para os negros, indígenas, ciganos e outras etniais; as questões das terras das comunidades tradicionais – como as quilombolas e de terreiro; acompanhar e fiscalizar casos de violência e juventude negra; discriminação no mercado de trabalho, emprego e renda; e no acesso a justiça.

Esperamos, após essa retratação, continuar a receber o apoio da sociedade sergipana na nossa luta diária pela cidadania e por direitos, o reconhecimento e a legitimidade que sempre nos foram concedidos por essa sociedade para ser um dos seus interlocutores, o que sempre consideramos como uma honra e a nossa principal missão.

Carlos Augusto Monteiro Nascimento
Presidente da OAB-SE

A deleção da famigerada imagem e a retratação foram o mínimo a ser feito. Gostaríamos que, depois do incidente, a OAB/SE iniciasse uma campanha contra o racismo velado e institucional que tenta dar ao Brasil uma falsa roupagem de “democracia racial” cujas opressões seriam uma questão de “humanofobia” e “falta de consciência humana”.

imagrs

2 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Alessandro

novembro 20 2014 Responder

A página foi tirada do ar

    Robson Fernando de Souza

    novembro 21 2014 Responder

    Valeu pelo aviso (graças a vc, eu vi também que a OAB/SE se retratou pela imagem estúpida). O post está editado com a atualização. Abs

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo