13

jul15

Privatizações, a distopia do capital: assista aqui
Charge exibida no documentário

Charge exibida no documentário

Consciencia.blog.br recomenda o documentário Privatizações: a distopia do capital, lançado em 2014. Ele nos convida a questionar as crenças que, desde pelo menos a década de 90, têm sido plantadas na mentalidade das pessoas pela imprensa, pelas propagandas dos governos federais e por militantes de direita. Assista abaixo ou direto no YouTube:

A descrição do vídeo no YouTube assim descreve o vídeo:

O novo filme de Silvio Tendler ilumina e esclarece a lógica da política em tempos marcados pelo crescente desmonte do Estado brasileiro. A visão do Estado mínimo; a venda de ativos públicos ao setor privado; o ônus decorrente das políticas de desestatização traduzidos em fatos e imagens que emocionam e se constituem em uma verdadeira aula sobre a história recente do Brasil. Assim é Privatizações: a Distopia do Capital. Realização do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio de Janeiro (Senge-RJ) e da Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge), com o apoio da CUT Nacional, o filme traz a assinatura da produtora Caliban e a força da filmografia de um dos mais respeitados nomes do cinema brasileiro.

Em 56 minutos de projeção, intelectuais, políticos, técnicos e educadores traçam, desde a era Vargas, o percurso de sentimentos e momentos dramáticos da vida nacional. A perspectiva da produtora e dos realizadores é promover o debate em todas as regiões do país como forma de avançar “na construção da consciência política e denunciar as verdades que se escondem por trás dos discursos hegemônicos”, afirma Silvio Tendler.

Vale registrar, ainda, o fato dos patrocinadores deste trabalho, fruto de ampla pesquisa, serem as entidades de classe dos engenheiros. Movido pelo permanente combate à perda da soberania em espaços estratégicos da economia, o movimento sindical tem a clareza de que “o processo de privatizações da década de 90 é a negação das premissas do projeto de desenvolvimento que sempre defendemos”.

imagrs

2 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Nathalie

agosto 23 2015 Responder

Obrigada pelo vídeo, muito bom. Precisamos d opiniões adversas ao sistema capitalista predominante q se impôs há séculos, pra podermos ter outros pontos d vistas, diferentes dos q nos ensinam na escola e dos q nos são apresentados pela mídia.

Fernando

julho 13 2015 Responder

“Movido pelo permanente combate à perda da soberania em espaços estratégicos da economia…”

Não há mercado mais estratégico que o de alimentação (porque, se não tiver comida, todo mundo morre), e ainda assim não vemos uma estatal controlando a produção e distribuição de comida. Pelo contrário: quem o comanda são os capitalistas gordos e feios, que usam cartola e monóculo e andam pra lá e pra cá com sacos de pano com desenho de cifrão.

Despiciendo dizer também que o queixume predominante em relação a esse setor, abandonado às impessoais e frias forças de mercado, não é a escassez, mas o desperdício.

Essa choradeira apocalíptica sobre “entreguismo” não passa de lorota. E o fato dessa porcaria de filme ser patrocinado por sindicatos (que têm interesse em um estado inchado pra poder ficar de conluio com ele, com seu monopólio constitucionalmente garantido) não ajuda em nada.

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo