08

ago15

O evento fraudado no Facebook, o uso de corrupção para “combater a corrupção” e os interesses desonestos que o movimento antipetista esconde
Capa do evento fraudado no Facebook

Capa do evento fraudado no Facebook

Nessa semana, no Facebook, dezenas de milhares de pessoas foram desagradavelmente surpreendidas. Na manhã do dia 6, seus nomes estavam “confirmados”, sem seu consentimento, num evento antipetista pró-impeachment, que os “chamava” para o protesto de direita do próximo dia 16. Protestaram na página do fraudulento evento, com toda razão – afinal, haviam sido “convocados” à manifestação por um indivíduo que usou de método totalmente desonesto para “combater a corrupção”.

O evento em questão se referia, até a noite do dia 5, a uma manifestação passiva online contra Aécio Neves, a qual havia “acontecido” em outubro de 2014, segundo turno da campanha eleitoral presidencial.

Uns acreditam que o fraudador era, na época, um antipatizante de Aécio Neves, eleitor de Dilma ou anulador do voto, e fundou então o evento, e meses depois “virou a casaca” tornando-se um anti-Dilma ferrenho e manipulando a página. Outros creem que ele sempre foi um direitista odiador do PT e havia criado a tal página de evento como isca para “guardar” a confirmação não consentida de dezenas de milhares de pessoas para uma ocasião futura – a qual “aconteceu” nesse dia 6.

Os protestos ocorreram às centenas, senão aos milhares, na página do evento. E em pouco mais de um dia, mais de 20 mil pessoas desvincularam seu nome dali “desconfirmando” sua “presença”.

É perfeitamente compreensível a indignação dos “desconfirmantes”. Haviam sido objeto de uma manobra fortemente desonesta, que tentava fazer a direita anti-Dilma parecer mais numerosa do que realmente é. Haviam sido ludibriados por alguém que usou de fraude para promover uma suposta luta contra fraudes na política.

Ficou-lhes mais evidente do que nunca como parte da direita brasileira não hesita em promover expedientes corruptos na sua falsa “guerra contra a corrupção”. Posturas desonestas como a do fraudador do evento facebookiano comprovam que boa parte da oposição direitista a Dilma não quer, nem nunca quis, um Brasil sem corrupção.

O que pessoas assim querem mesmo é apenas o encerramento violento do poder governamental do PT e a “entrega” da vaga do Poder Executivo federal a políticos assumidamente de direita, sejam civis ou militares. Não se importarão se esse possível novo governo reacionário assumido promover impunemente sua própria corrupção.

É possível especular, inclusive, que alguns dos pró-impeachment estão vendo nos panelaços, nas escaramuças políticas das redes sociais e nas manifestações de rua de direita a oportunidade de ascenderem como novos líderes. Parece ser o caso do fraudador do evento, em cujo perfil pessoal pode ser vista uma intensa atuação em favor do “movimento” antipetista, como se estivesse trabalhando para se tornar um dos cabeças do antipetismo conservador brasileiro – tal como os Revoltados Online e os coordenadores do Movimento “Brasil Livre”.

Em outras palavras, a onda conservadora de ódio fanático ao PT está tanto servindo para algumas pessoas obterem promoção pessoal e/ou lucros em dinheiro, como escancarando, cada vez mais, que a abolição da corrupção no Brasil não é uma bandeira legítima delas.

O pretexto do “combate à corrupção” tem servido como uma máscara para enganar, manobrar e controlar mental e ideologicamente os “cidadãos de bem revoltados”. E não só esses propósitos têm sido sustentados em procedimentos eticamente corruptos, como já são, por si sós, uma forma de corromper a política. Alheiam-na do papel de promover o bem comum coletivo, o interesse público e a mudança social, e tornam-na um meio de satisfazer interesses privados e ganhos pessoais.

Essa faceta interesseira, manipuladora e antiética do “movimento” de direita contra os “corruPTos” nos evidencia que ele veio não para moralizar a política no Brasil, mas sim por motivos que passam longe da redenção ética do país. Não esperemos nada bom vindo de pessoas que, dentro dessa tendência, usam de métodos desonestos com o pretexto de “combater a desonestidade”. Eles não estão interessados em livrar o Brasil da tradição do mau uso do dinheiro público e do poder político, pelo contrário.

imagrs

6 comentário(s). Venha deixar o seu também.

haroldo

agosto 9 2015 Responder

Eu acho impossivel que aconteça o impeachment da presidente Dilma, mesmo que aconteça a megamanifestação

    Robson Fernando de Souza

    agosto 9 2015 Responder

    O impeachment em si, condicionado aos motivos alegados pelos coxinhas, não é respaldado pela lei vigente. Mas não é tão improvável assim que Dilma eventualmente renuncie (o que é diferente de ser “impichada”).

    E eu acho que o carnarreaça do próximo dia 16 vai ser um fiasco, tal como o de 12/04. Vai passar longe de ser uma “megamanifestação”.

      haroldo

      agosto 11 2015 Responder

      Espero que SIM…hehe

      Gustavo, anarquista bizarro.

      agosto 13 2015 Responder

      A manifestação do dia 16 vai ser algo de enorme, vai abalar ainda mais a estrutura desse governo, e chamá-la de “carnarreaça” é extremamente ofensivo com pessoas que não compartilham ideais conservadores que vão estar lá pelo ÓDIO totalmente justificado que o PT está despertando na nossa sociedade. O PT desceu de um pedestal imaculado para ir para o lodo onde se encontram os piores da nossa política. Foi-se o tempo em que votar no PT era a coisa certa a se fazer.

      E se a manifestação do dia 16 vai servir de escada para os verdadeiros “reaças” devemos culpar os que se autointitulam “de esquerda”. Da esquerdalha que está no comando em Brasília até os “de esquerda” que ficam, da forma mais pobre possível, argumentando contra fatos e colocando todo mundo que desvia 1mm de sua linha de pensamento artificial no mesmo balaio de gato que os bolsonaros dessa vida. No joguete politicóide ridículo que é a nossa sociedade, os direitopatas fizeram o jogo mais baixo e repugnante possível, mas fizeram de forma inteligente. Os “de esquerda” tentaram fazer o mesmo joguetinho só que não tiveram capacidade intelectual para bater de frente com a caterva dos Bolsonaros e Malafaias.

      Hoje eu leio blogs “de esquerda”, com o mesmo propósito com que eu leio artigos do Reinaldo Azevedo, somente curiosidade mórbida para saber como cada lado dessa mesma moeda vai tentar angariar adeptos para sua causa. Eu leio blogs de esquerda e fico com a sensação que o que eles pregam não é progressismo, fico com a sensação de que eles estão somente tentando se afirmar como líderes de um determinado segmento da sociedade, que eles estão, de forma oportunista, se aproveitando de demandas urgentes e importantes da nossa sociedade doente, chamando-as “de esquerda” e se colocando como mentores necessários para guiar a população a esse ideal.

      Mas agora acabou, os “reaças” estão ai com tudo, a bancada evangélica está ai para ficar e crescer e a “esquerda” –que nos últimos 12 anos teve todas as chances de dar seguimento com um projeto de governo ideal e preferiu dar seguimento com um projeto de poder– é a verdadeira culpada.

      Eu torço para a queda da Dilma, para a prisão do Lula e para o fim do PT, não porque eu penso que vá gente digna e honrada substituí-los, não há dignidade na política, eu torço pelo fim desse governo por ele ter me enganado por anos e anos, pelo estelionato eleitoral que ele praticou, pela traição que fui vítima.

    Tarantino

    agosto 11 2015 Responder

    Juridicamente não há como requerer o impeachment, pois não há provas concretas contra a presidente. O que faz falta mesmo é vergonha na cara.

Tarantino

agosto 9 2015 Responder

Em 15 de Março foram quase 1 milhão de pessoas em todo o País…

Mau uso do Facebook? Sei…

http://www.midiasemmascara.org/artigos/cultura/15991-2015-08-07-20-48-13.html

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo