28

jan16

Mapa falso do Metrô de São Paulo circula no Facebook
Clique na imagem para vê-la em tamanho completo

Clique na imagem para vê-la em tamanho completo

Atualizado em 29/01/2016 às 1h14, com foto do verdadeiro mapa com escala da malha metroferroviária paulistana

Estão compartilhando um mapa falso do Metrô de São Paulo. É na verdade uma montagem malfeita que enxerta num mapa real, com escala, dos limites municipais de São Paulo, um mapa sem escala das linhas 1 a 4 do metrô.

Nessa imagem a estação Corinthians-Itaquera (última estação a leste da Linha 3 Vermelha) ficou a cerca de 15km de distância da sua verdadeira localização (relativamente próxima do extremo-leste da cidade), e Tucuruvi (última estação a norte da Linha 1 Azul) ficou a vários quilômetros de distância de sua real localização. Isso sem falar que faltaram, do próprio metrô, a linha 5 e o trecho inicial da linha 15 (o monotrilho), este inaugurado no ano passado com 2,9km de extensão.

Em se tratando de mapa metroferroviário, a imagem comete a falácia de excluir as linhas da CPTM, a companhia de trens metropolitanos que, na verdade, é mais metrô do que muito sistema nomeado de metrô pelo Brasil. A pessoa que fez a mapa-montagem acredita erradamente que os mapas metroferroviários de outras cidades do mundo não incluem linhas de trem suburbano (muitas vezes elas próprias consideradas metrô ou com qualidade semelhante à de metrôs bons).

Vale frisar que o costume de pessoas críticas dos sistemas metroferroviários brasileiros marginalizarem a CPTM, fazendo isso ao invés de cobrar que o Governo do Estado de São Paulo lhe dê uma qualidade igual, nivelada por cima, à do metrô, tem contribuído importantemente para que a qualidade do serviço da companhia de trens continue bem abaixo da do metrô. Em algumas linhas, são muitas as estações antigas, não modernizadas, e relativamente comuns os casos de trens quebrando e via férrea alagada em dias de muita chuva, e há os problemas do intervalo elevado entre trens nos horários fora do pico, dos trens antigos (como os modelos 1100 e 4400, com mais de 50 anos de operação) e a má vontade do governo de expandir a rede (fora a linha 13, em construção, todas as linhas existentes da CPTM operam sobre o trajeto de antigas ferrovias regionais centenárias).

São Paulo e região metropolitana têm uma malha metroferroviária relativamente grande, um total de 336,8km. É muito maior do que o rabicho feito nesse mapa falso. Mas algo verdadeiro é que a abrangência da rede é muito limitada em comparação com outras metrópoles do mundo, como Paris, Tokyo e Londres, e poderíamos sim ter um metrô propriamente dito e uma rede de trens metropolitano muito mais extensos, se houvesse boa vontade e competência gerencial nos sucessivos governos estaduais paulistas.

Falando em governo estadual, há um detalhe que não deve ser desprezado na imagem: a atribuição à Prefeitura de São Paulo como “fonte”. O Metrô não é administrado pela prefeitura paulistana, mas sim pelo governo estadual paulista (exceto a linha 4, operada pelo consórcio privado Via Quatro, e a futura linha 6, que está sendo construída e será operada pelo consórcio Move São Paulo).

É de se suspeitar que a pessoa que montou o mapa falso pode estar tentando jogar a opinião pública contra a “prefeitura de Haddad”, acusando-a de propagar mapas falsos para depreciar o governo estadual, há 21 anos administrado por governadores do PSDB, partido rival do PT. Digo isso porque quem mora na cidade de São Paulo ou a visita regularmente dificilmente acredita que esse mapa reflete a verdadeira rede metroviária da cidade, e a tendência é detectar sua falsidade rapidamente, o que pode abrir o caminho para a desinformada acusação contra a prefeitura paulistana de falsificar mapas e difamar o governo estadual.

O falso mapa cai como uma luva diante da não disponibilização, por parte das duas companhias metroferroviárias paulistas, por falta de competência gerencial, de mapas verdadeiros com escala. Não há nem no sites do Metrô e da CPTM, nem mesmo no Google, mapas da rede com sua verdadeira extensão e os limites municipais dentro da Grande São Paulo. Só é possível atualmente ver um mapa assim nas estações de trem e metrô, e mesmo no Google só podem ser encontrados mapas com escala de obsoletas projeções “futuras” da malha.

O verdadeiro mapa com escala da rede sobre trilhos de São Paulo (contrastada com os limites municipais de São Paulo e algumas cidades da região metropolitana) é esse, vide foto tirada na estação Corinthians-Itaquera do metrô (Obs.: Os nomes no mapa não podem ser vistos nitidamente, por causa da limitação da câmera de celular usada, embora seja possível ter uma ideia da verdadeira extensão da malha):

Clique na foto para vê-la em tamanho maior

Clique na foto para vê-la em tamanho maior

A expansão da rede subterrânea de metrô é uma necessidade urgente que não tem sido respeitada na cidade de São Paulo e em sua região metropolitana, assim como a expansão para baixo do solo da rede ferroviária suburbana pela CPTM, pelo Governo do Estado de São Paulo, marcante pelos atrasos, congelamentos e cancelamentos nas obras. Mas se queremos criticar a incompetência do governo e exigir que leve a expansão metroferroviária a sério, vamos fazer isso com seriedade, honestidade e compromisso com a verdade. É o que falta nesse mapa falso do Metrô de São Paulo.

imagrs

6 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Laercio Santos

julho 1 2016 Responder

Oi pessoal,

Realmente lamentavel essa pobre representação do Metro Paulista
alem de uma sofrivel falta de precisão em plena era de TV de Alta Definição…

Gostaria de que o Metro/Cptm me fornecessem um desses mapas
fotografados por ultimo com o celular: farei uma representação com
Circulos Concentricos (centro na Estação Sé) e respectivas distancias
ortodrômica revelando, assim, o verdadeiro tamanho da Rede…

Grato pelas informações,

Laercio.

haroldo

janeiro 28 2016 Responder

Robson, eu digo com todo o respeito, não é pra contrariar os seus argumentos, é só pra complementar o seu argumento

    Robson Fernando de Souza

    janeiro 28 2016 Responder

    hehehe Relaxa =) Gostei do link, ele revela bem como as malhas se reduzem quando se tiram os trens suburbanos. Abs

haroldo

janeiro 28 2016 Responder

exclui a cptm, mas também exclui as “cptm”s dos outros países

haroldo

janeiro 28 2016 Responder

mapas dos metros do mundo em escala real:
http://fakeisthenewreal.org/subway/

    Robson Fernando de Souza

    janeiro 28 2016 Responder

    Valeu pelo link, Haroldo =) Fica bem claro o quanto a malha fica reduzida quando se excluem as linhas de trem metropolitano/suburbano. Abs

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo