07

maio16

O que motivou seu engajamento pelo impeachment de Dilma e contra a “corrupção do PT”? (Parte 1)

protesto-impeachment

Os motivos que você diz que te movem a protestar contra Dilma e o PT realmente condizem com os fatos e resistem a uma reflexão?

Leia o artigo completo: Parte 1 | Parte 2 | Parte 3

Se você defendeu o impeachment de Dilma Rousseff, comemorou a aprovação do prosseguimento do processo na Câmara dos Deputados, acredita que o PT é o partido mais corrupto do Brasil (da atualidade ou da história do país) e tem alguma abertura para ler artigos de quem pensa diferente, este artigo é para você. Quero convidar você a pensar: o que motivou seu engajamento pelo impeachment da presidenta e contra a “corrupção do PT”? O(s) motivo(s) que você alega condiz(em) com os fatos?

Acredito que os dez motivos elencados neste texto foram os mais prováveis pretextos usados por defensores do impeachment. Se um ou mais deles foram assimilados por você, pense sobre a veracidade deles.

 

1. Combate à corrupção?

Ao contrário do que se costuma crer, o PT não é o partido mais corrupto do Brasil, menos ainda o único largamente envolvido nesse tipo de crime, embora tenha sim diversos membros seus atolados em escândalos. Partidos como o PSDB e o PMDB e parlamentares de bancadas como a ruralista e a teocrática têm sido apontados como redutos de um número muito maior de políticos acusados de corrupção e/ou outros crimes do que o PT.

Além das acusações dirigidas ao PT serem exageradas, não há, até o momento, nenhuma prova formal de que Dilma e Lula estejam envolvidos pessoalmente com escândalos. Nenhuma das menções a seus nomes feitas por delatores da Operação Lava Jato resultaram na descoberta de indícios claros de corrupção de autoria, coautoria ou participação de nenhum dos dois. No caso de Lula, nem o caso do apartamento triplex do Guarujá, nem o da fazenda de Atibaia/SP resultaram em comprovação de que Lula é envolvido em crimes ligados à corrupção.

Se será descoberto, num futuro próximo, algum envolvimento dos dois com desvio de verbas públicas e/ou lavagem de dinheiro, isso é apenas uma possibilidade, não uma certeza consumada. Então, se você acusa os presidentes petistas de corrupção, não está fazendo isso sustentando-se em fatos legítimos e provas.

E se você diz ser contra o PT “por causa da corrupção”, sinto em dizer também que, se você não dedica sua energia de cidadão indignado aos corruptos do PMDB, PSDB e outros partidos, bancadas conservadoras, câmaras legislativas locais, governos estaduais e prefeituras, não é a corrupção que está fazendo você odiar Dilma, Lula e o PT, e sim outra coisa.

 

2. Defesa da honestidade e transparência na política?

Reitero e complemento o parágrafo anterior: se você não se preocupa com o envolvimento em escândalos de corrupção de não petistas, de magistrados, de pessoas dos três poderes nos estados e municípios e de empresários, militares e líderes religiosos, mas sim apenas com o envolvimento do PT na Operação Lava Jato e no Mensalão petista da década de 2000, então sua preocupação na verdade não é com a honestidade e transparência na política.

Além disso, se você acusa Dilma e Lula como “comprovadamente” criminosos sem que haja realmente um indiciamento formal dos dois em algum crime, você também está promovendo uma atitude sem ética e até criminosa por si só, que é o crime tríplice contra a honra: calúnia, injúria e difamação. E convenhamos que caluniar adversários políticos não é uma postura que se espera de alguém que defende a política honesta.

 

3. Indignação contra tudo o que aí está?

Se você está em revolta contra “tudo o que aí está”, o lógico é que compreenda a inclusão de grande parte dos deputados (federais, estaduais e distritais), senadores, vereadores, prefeitos e governadores, além de empresários, magistrados, profissionais liberais e líderes religiosos corruptos, nesse “tudo”. É de se esperar que, nessa indignação, você tenha também a ideia de que presidentes da república em países considerados democráticos não são imperadores absolutos, tendo seus poderes (de)limitados pela Constituição e pelos poderes Legislativo e Judiciário.

Espera-se também que você tenha consciência de que governadores, prefeitos, deputados, senadores e vereadores, além de juízes e promotores, também são responsáveis por tudo o que está acontecendo de ruim.

Se o que revolta você em “tudo o que aí está” é apenas o envolvimento de petistas com corrupção, supostos erros de Dilma que na verdade não dizem respeito aos poderes constitucionalmente atribuídos a ela e “denúncias” que não passam de boatos, então não é “tudo” na situação presente do país que está inquietando você. Nem você está tendo consciência real de tudo que está acontecendo e quem divide a responsabilidade pelo cenário problemático estabelecido.

 

Este artigo continua na próxima parte.

Leia o artigo completo: Parte 1 | Parte 2 | Parte 3

imagrs

1 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Fab Junqueira

maio 12 2016 Responder

Obrigado por esse texto nas suas três partes!

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo