17

jul16

O costume, de muitos que acusam a esquerda de “defender bandidos”, de apoiar criminosos de direita
Muitos reacionários rebaixam a defesa dos Direitos Humanos a 'adotar bandidos'. Mas eles próprios já adotaram seus criminosos

Muitos reacionários rebaixam a defesa dos Direitos Humanos a “adotar bandidos”. Mas eles já adotaram seus próprios criminosos

Corrupção de políticos conservadores, discursos de ódio já tipificados como crimes, delitos contra a honra alheia, abuso de autoridade por policiais… São muitas as violações da lei consentidas ou mesmo apoiadas por reacionários no Brasil

Um costume muito comum no meio reacionário brasileiro é acusar defensores dos Direitos Humanos, principalmente aqueles que se assumem de esquerda, de “defender bandidos”. Mas igualmente comum é relativizarem ou mesmo defenderem como “liberdades” muitos crimes cometidos por pessoas que se assumem de direita.

Entre as diversas situações em que reacionários ficam do lado dos criminosos, cinco se destacam:

1. Quando policiais militares cometem crimes em serviço, como racismo, tortura, abuso de autoridade, constrangimento ilegal, ameaça e homicídio. É corriqueiro que blogs, páginas e grupos em redes sociais exaltem os crimes de policiais e se coloquem inquestionadamente ao lado deles quando estes são denunciados à Justiça e/ou submetidos a investigação;

2. Quando políticos conservadores são denunciados por corrupção e outras ilicitudes. Tem sido um comportamento clichê grupos de militância política assumidamente de direita acobertarem ou relativizarem os crimes cometidos por políticos conservadores, “liberais” e teocráticos. Aqui estão incluídos centenas ou até milhares de casos de corrupção e/ou enriquecimento ilícito em que vereadores, deputados, senadores, prefeitos, governadores, secretários e ministros de direita estão ou estiveram envolvidos. Afinal, para os reacionários, só os crimes cometidos (comprovadamente ou não) por membros do PT é que importam, enquanto os de autoria de pessoas da maioria dos outros partidos podem ser ignorados e mantidos impunes;

3. Quando formadores de opinião de direita promovem discursos abusivos que já hoje são enquadrados como crimes. O universo de mentores ideológicos da direita brasileira é um caldeirão de criminalidade e impunidade. Eis uma tímida amostra dos delitos cometidos por pessoas desse meio e apoiados por grande parte de seu séquito: racismo, xenofobia, intolerância religiosa, calúnia, difamação, injúria, apologia e/ou incitação a diversos tipos de crimes (como estupro, homicídio, sonegação de impostos, lesão corporal, difamação, constrangimento ilegal, crimes contra a honra etc.), ameaça e crime contra a segurança nacional (vide incitações a um novo golpe militar);

4. Quando pastores “evangélicos” corruptos cometem crimes por meio de seus discursos e práticas. Não é raro que os fiéis que seguem esses sacerdotes fiquem do seu lado quando eles são denunciados por crimes como estelionato, charlatanismo, corrupção, extorsão, crimes de ódio e apologia e/ou incitação ao crime;

5. Quando latifundiários cometem seus crimes no campo para expandir ou “proteger” suas terras e seu poder político e econômico. Não é à toa que reacionários do interior e mesmo das grandes cidades se manifestem em apoio a ruralistas que ameaçam ou mandam matar indígenas, camponeses, ambientalistas, quilombolas e moradores de comunidades tradicionais; fraudam a propriedade de suas terras; promovem crimes ambientais diversos, como desmatamento e poluição; exploram trabalho análogo à escravidão; expulsam pessoas inocentes de suas casas e terras etc.

Por mais que acusem a esquerda de “defender bandidos”, os reacionários não podem refutar o amargo fato de que muitos dos seus são experts em proteger e apoiar criminosos que atuem em nome do conservadorismo e do mais predatório capitalismo. Até porque, se não recorresse a muitos expedientes ilegais e violentos, a direita brasileira teria apenas uma pequena fração do poder que tem adquirido nesses últimos tempos.

se-gostou-apoie-o-blog-pelo-apoia-se

imagrs

3 comentário(s). Venha deixar o seu também.

Newton

julho 17 2016 Responder

Não existe realmente nenhum partido legítimo conservador de direita no Brasil. O que existe são partidos que se opõem ao(s) partido(s) da situação.

1) Blogs que defendem crimes estão usando o direito à liberdade de expressão. Isto inclui o direito de expressar preferências e coisas que podem soar desagradáveis aos outros. O que não podem fazer é colocar em prática o que defendem.
2) A classe política na verdade não se importa com a ideologia; para eles, a melhor ideologia é aquela que lhes permite obter maiores vantagens financeiras. Não existem atos pautados pela moral nessa gente (pelo menos na grande maioria), a ÚNICA COISA QUE OS NORTEIA É O DINHEIRO.
3) Esses atos não são exclusividades da direita(que não existe no Brasil…) ou da esquerda.
4) Idem ao (2)
5) Sim, e depois chega o MST (de Amarok ou de Hilux) para tomar as terras dos “exploradores”, e depois vendê-las. Tomam inclusive as terras e matam o gado de pequenos proprietários rurais que produzem e estão tentando sobreviver.

    Luís Henrique

    agosto 4 2016 Responder

    Newton, liberdade de expressão não inclui ameaças, difamação, injúria, calúnia, incitação ou apologia ao crime. E muitos veículos de direita fazem essas coisas, gritando por “liberdade de expressão” mas sistematicamente tentando calar qualquer crítica aos seus conteúdos, como se a liberdade de expressão não incluísse a liberdade de crítica à expressão alheia. Pior, tentam confundir crítica com censura, como se desmontar a “lógica” absurda de um texto equivalesse a proibir o texto.

    Mas o post não é sobre isso. Todo mundo tem o direito de “defender bandido”, nos limites da liberdade de expressão. O problema é que muitas pessoas (principalmente de direita) que acusam os outros (principalmente de esquerda) de “defender bandido”, na verdade defendem bandidos, desde que esses bandidos sejam conservadores, de direita, evangélicos, ou que cometam determinados crimes, do tipo estupro, calúnia, injúria, ameaça, etc., ou que a vítima seja de um determinado grupos sociais (mulheres, negros, pobres, velhos, crianças, travestis, homossexuais, prostitutas, índios, etc.) caso em que, aparentemente, eles acham que as vítimas “merecem” ser agredidas, estupradas, roubadas, e até assassinadas.

    “ÚNICA COISA QUE OS NORTEIA É O DINHEIRO” é um posicionamento radicalmente ideológico, que pressupõe a naturalização, totalmente ideológica, da comercialização de tudo e de todos.

    E disseminar inverdades sobre o MST (que não vende as terras ocupadas, primeiro por que não lhe interessa, segundo por que não tem a escritura e portanto não pode vender) é um comportamento grotesco, bem digno da direita brasileira de hoje em dia.

    Filho do Luís

    setembro 10 2016 Responder

    Como assim a direita não existe no Brasil? Qual definição de direita é essa que você adotou?

Sua opinião é bem vinda, desde que respeitosa. Fique à vontade para comentar abaixo