Direita criticada
13

jul 2014

convencao-dilma-2014

Se algumas pessoas ainda acreditam que o PT e Dilma Rousseff (ainda) são de esquerda e duvidam que ambos estão em franca guinada à direita, a coligação da campanha de reeleição dela acaba com essas dúvidas. O PT se uniu a diversos partidos fortemente envolvidos com as bancadas teocrática e ruralista e com nomes de extrema-direita, e confirma assim que dará ainda mais gestos braçais de banana para as demandas populares e da esquerda no provável segundo mandato de Dilma. Leia mais »

2 Comentários

-

Leia mais aqui
18

dez 2013

Congresso com muitos ruralistas, teocratas, nepotistas, corruptos etc. e a presidência com alguém mancomunado com o grande capital, ou seja, mais do mesmo ou algo ainda pior: essa é a perspectiva que se tem para depois das eleições de 2014

Congresso com muitos ruralistas, teocratas, nepotistas, corruptos etc. e a presidência com alguém mancomunado com o grande capital, ou seja, mais do mesmo ou algo ainda pior: essa é a perspectiva que se tem para depois das eleições de 2014

O cenário que se monta para as eleições federais (presidente, deputados federais e senadores) de 2014 não é nada animador. Pelo que tem acontecido até o momento, parece só haver duas possibilidades para o resultado do próximo pleito, caso algo positivamente surpreendente não aconteça: Brasília vai continuar com um plantel político de qualidade irrisória ou vai ficar com algo ainda pior do que já tem hoje. Isso mostra que alguma providência precisa ser tomada pela população para que o Brasil não perca mais quatro anos de sua história político-governamental. Leia mais »

2 Comentários

-

Leia mais aqui
21

set 2013

baixa-a-bola-ruralista

Um vídeo muito interessante e muito bem produzido denuncia e explica didaticamente o quão destrutivos são latifundiários e os políticos ruralistas – sendo quase todos desses últimos também donos de latifúndios. Baseado em desenhos, o vídeo é uma ótima aula para quem ainda acredita que as grandes propriedades de terra são essenciais para alimentar os brasileiros. Leia mais »

1 Comentário

-

Leia mais aqui
29

mar 2013

Protestos como os atuais no máximo só poderão cortar folhas doentes, deixando a raiz da doença política brasileira intacta.

Protestos como os atuais no máximo só poderão cortar folhas doentes, deixando a raiz da doença política brasileira intacta.

Brasília se degenera a um ritmo mais assustador do que em outras épocas. Enquanto a população protesta contra Marco Feliciano, Renan Calheiros e outros personagens bizarros da política brasileira, o regressismo (forma fortalecida do conservadorismo, que não simplesmente conserva o que não presta, mas também revoga avanços nos direitos humanos e socioambientais) corporativo, empreiteiro, latifundiário e teocrático vem completando sua dominação sobre os poderes Executivo e Legislativo federais e de diversos estados e cidades. Os protestos empreendidos hoje em dia podem até derrubar os nomes mais podres, mas infelizmente não conseguirão fazer nada além disso, nada que vá cortar a raiz do mal que ronda a capital federal e impedir de verdade a escalada da direita retrógrada.

Nesses dias cada vez mais nebulosos, donos de grandes terras, teocratas evangélicos e empresários poderosos se aliam com o Governo Federal e impõem seus interesses privados goela abaixo da sociedade. Hidrelétricas destruidoras avançam com o apoio repressor da polícia militar e das forças armadas, destruindo rios, florestas e culturas indígenas e ribeirinhas. . Corruptos condenados e internacionalmente procurados brindam no alto escalão do poder. Leis antiambientais e antilaicas passam a despeito dos protestos populares e fazem o Brasil correr cada vez mais o risco de virar uma teocracia pentecostal e ruralista… Leia mais »

4 Comentários

-

Leia mais aqui
27

mar 2013

O rei da soja matogrossense Blairo Maggi ocupa um lugar de onde nunca deveria sequer se aproximar: a Comissão de Meio Ambiente do Senado

O rei da soja matogrossense Blairo Maggi ocupa um lugar de onde nunca deveria sequer se aproximar: a Comissão de Meio Ambiente do Senado

Leia também: Invocar protestos contra Blairo Maggi não significa recuar da mobilização contra Marco Feliciano

Enquanto o Brasil ferve para derrubar o pastor Marco Feliciano da presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara, um silêncio de cemitério generalizado permite que o ruralista Blairo Maggi, ganhador da Motosserra de Ouro do Greenpeace alguns anos atrás e hoje presidente da Comissão de Meio Ambiente (CMA) do Senado, trabalhe em paz aguardando, com seus colegas de latifúndio, a próxima lei ambiental para rejeitar e a próxima lei pró-ruralismo para aprovar.

Mal sabe o Brasil que o barão da soja Maggi assumiu a CMA quase na mesma época em que o fundamentalista Feliciano assumiu a CDHM, e que a comissão ambiental tem entre seus 17 titulares os ruralistas Garibaldi Alves Filho, Ivo Cassol, Kátia Abreu e José Agripino e tem o também ruralista Eunício Oliveira como suplente de seu “companheiro de latifúndio” Ivo Cassol, não contando, em contrapartida, com nenhum nome ligado direta e conhecidamente à politização da causa ambiental (fontes: site do Senado e Wikipédia). Leia mais »

76 Comentários

-

Leia mais aqui
25

mai 2012

Como eu imaginava – e esperava, visto que não espero mais nada de realmente bom dela -, Dilma não vetou todo o Novo Código Florestal. Apenas doze artigos, dentre 84, foram vetados. Outros 32 ou 35 (a mídia varia entre esses dois números) artigos foram apenas modificados.

Diz-se que os artigos vetados ou modificados foram aqueles que aumentariam a permissibilidade legal ao desmatamento e anistiariam desmatamentos ilegais. Do jeito que vi a mídia falar, parece ter sido algo bom. Mas a verdade é que a população, em sua grande movimentação que já durava pelo menos dois anos, desde os abaixo-assinados para o Congresso até o #VetaDilma, queria que todo o NCF fosse vetado, sem qualquer sanção ou modificação paliativa.

E outra questão é que, apesar do “otimismo” sutil da imprensa, não há a certeza de que o veto parcial realmente foi algo que satisfaça minimamente a população, visto que até o momento o NCF, com os vetos, modificações e sanções, não foi divulgado ainda a público (se você leitor/a encontrar o NCF com vetos e modificações disponível para consulta, por favor, me avise via comentários e divulgue). Leia mais »

3 Comentários

-

Leia mais aqui
01

abr 2012

Em meio de tantas esperanças que eu venho tendo e tentando plantar sobre o nosso poder de mudar o mundo, algo vem excepcionalmente me deixando impotente e desanimado: a luta pela preservação do atual Código Florestal, contra a reforma ruralista que querem impor.

O famigerado código já passou na Câmara sem dificuldades realmente grandes, e o Senado dá grandes perspectivas de que, logo quando for votado, ele será aprovado em sua versão atual. Não sei se vai ser caso de voltar à Câmara pra nova votação, mas, se for, deverá ganhar de lavada de novo. Daí só restaria a “boa vontade” de Dilma Rousseff, que todo esquerdista sobrevivente da cooptação empreendida por PT, PSB e PCdoB sabe que é na verdade uma péssima vontade em se tratando de governar para o povo. Leia mais »

2 Comentários

-

Leia mais aqui
26

mai 2011

Eu falei que traria algo refletindo minha opinião e decepção sobre a aprovação do Código (Anti)Florestal a qual aconteceu no fim de noite de anteontem.

Na verdade nem precisei escrever, porque o irmão de consciência Raphael Tsavkko escreveu aquilo que já reflete minha posição. Aliás, ele atacou dois retrocessos dessa semana: o Código (Anti)Florestal e a suspensão, ordenada por Dilma, do kit educativo anti-homofobia (pejorativamente chamada pelos reacionários de “kit gay”).

Abaixo o trecho inicial do artigo de Tsavkko. O texto completo está no blog dele porque não quero remover parte da audiência do recomendadíssimo Blog do Tsavkko: The Angry Brazilian. Leia mais »

Nenhum Comentário

-

Leia mais aqui
15

mai 2011

Abaixo o trecho inicial da reportagem da Istoé do último 6 de maio, sobre por que certos parlamentares estão fazendo tanta questão de aprovar tão rapidamente o desmonte do Código Florestal:

Por que um grupo de políticos quer mudar o código florestal
Levantamento de ISTOÉ mostra que pelo menos 27 deputados e senadores tinham pressa em aprovar a nova lei para se livrarem de multas milionárias e se beneficiarem de desmatamentos irregulares

PARLAMENTARES NA MIRA DO IBAMA
Deputado Giovanni Queiroz (PDT-PA)
Foi multado por exploração em área de manejo florestal em período de chuvas, vetado por lei Leia mais »

Nenhum Comentário

-

Leia mais aqui
10

mai 2011

Reproduzindo aqui texto encaminhado por e-mail:

 

Por que o novo Código Florestal não é bom…
… ou “Quando os ruralistas dizem uma coisa, na verdade dizem outra”.

A votação do novo Código Florestal está marcada para esta terça 10 de maio. Há alguns minutos [ontem], Aldo Rebelo em entrevista a Heraldo Pereira na Globo disse estar tentando negociar com o governo os ajustes para que a votação do novo Código Florestal possa ser levada à votação e aprovada consesualmente. Leia mais »

Nenhum Comentário

-

Leia mais aqui