Direitos Humanos

    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/andreortega/public_html/wp-content/themes/momentum/archive.php on line 51
15

maio 2012

Mais uma autoridade usa crença religiosa ao falar de problemas sociais e despeja preconceito contra ateus e o ateísmo. Ao Jornal Cruzeiro do Sul, o delegado titular da Diju (Delegacia da Infância e Juventude) de Sorocaba, José Augusto Pupin, falou a seguinte pérola:

“Há uma falta de consciência familiar, há uma ausência dos pais, há uma ausência de Deus nessas famílias. Pois quem tem Deus dentro de si não vai cometer crime, lesão corporal, furto e muito menos o roubo e tráfico de entorpecentes.

Ou seja, famílias “sem Deus”, logo ateias, são famílias de menor consciência familiar do que famílias teístas, e pessoas “que têm Deus dentro de si” não cometem crimes, ao contrário dos ateus, que são totalmente suscetíveis a instintos criminosos.

Novamente o preconceito dá as caras associando o ateísmo ao crime, ainda mais vindo de pessoas dotadas de autoridade. Uma autoridade que deveria zelar pelo combate ao crime acaba indiretamente incitando crimes de preconceito e discriminação contra os ateus.

Em Sorocaba, há a Secretaria da Juventude e a Secretaria da Segurança Comunitária, daí creio eu que as duas secretarias lidam com a Delegacia da Infância e Juventude. Portanto, é válido enviar protestos aos e-mails das duas secretarias: sesco@sorocaba.sp.gov.br (Segurança Comunitária) e sejuv@sorocaba.sp.gov.br (Juventude). Assim como enviar comentários abaixo da notícia na página do Jornal Cruzeiro do Sul (requer cadastro).

1 Comentário

-

Leia mais aqui