Arquivo Carnismo e Alfacismo

    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/andreortega/public_html/wp-content/themes/momentum/archive.php on line 51
16

ago 2012

O site da Folha de S. Paulo demonstrou confusão de não saber de que lado está em termos de apoiar ou criticar/endossar críticas sobre a produção e consumo de foie gras. Numa mesma página na seção Comida, publicou um artigo da colunista Alexandra Forbes, que critica tanto a indústria e os consumidores da “iguaria” como a “hipocrisia” daqueles que criticam sua produção mas comem carne, e um infográfico que ensina como escolher e consumir o patê feito do fígado inflamado e doente de patos e gansos cruelmente explorados, superalimentados e mortos.

O artigo diz, entre outras coisas, que “os defensores da medida têm razão quando dizem que a engorda do fígado deteriora a saúde das aves”, “as aves estão entre os muitos animais que o homem maltrata para transformar em comida, como lagostas e tubarões – que são jogados de volta ao mar depois de extraídas suas barbatanas” e “é hipocrisia focar apenas no bem-estar de aves que são gota no oceano: para cada pato destinado à produção de foie gras, há milhões de galinhas apertadas em jaulas de grandes granjas.  Não morrem porque tomam antibióticos. Isso para não falar em vacas e porcos, criados em escala industrial, para os quais não há lei de proteção em vista”. Não tem caráter abolicionista mas torna-se relevante por ter sido publicado por uma empresa membro da grande mídia, num contexto em que esta costuma apoiar atividades de exploração animal e difamar o veg(etari)anismo.

O infográfico, por outro lado, ensina, por exemplo, que o foie gras a ser comprado pelos interessados precisa ter entre 350 e 700 gramas de peso, não pode ter hematomas, deve ser conservado na geladeira logo após a compra e pode ser acompanhado por geleias e chutneys. (mais…)

3 Comentários

-

Leia mais aqui