Artigo
14

abr 2014

fazdeconta-da-meritocracia

A direita brasileira moderna, exceto talvez alguns grupos neofascistas e/ou ultraconservadores, costuma se dizer defensora da meritocracia, da atitude do indivíduo de lutar para ascender socioeconomicamente e “vencer na vida” graças ao seu próprio esforço. Pelo menos perante a visão de mundo acostumada com o capitalismo, é um ideal “muito bonito” e, segundo algumas pessoas, todos deveriam lutar pela concretização de uma utopia na qual não existisse nenhuma outra maneira de crescimento pessoal fora o valoroso esforço meritocrático, que seria iniciado em condições igualitárias de oportunidade por cada ser humano. Mas na verdade o que a direita brasileira, pelo menos uma parcela enormemente significativa dela, defende é algo distante de uma utopia socioeconômica meritocrata. (mais…)

2 Comentários

-

Leia mais aqui

    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/andreortega/public_html/wp-content/themes/momentum/archive.php on line 51
20

nov 2011

A princípio peço desculpas aos negros e negras por, mesmo hoje sendo o Dia da Consciência Negra, eu não ter trazido um post de minha autoria em homenagem a este dia. Eu venho me ocupando num livro que estou escrevendo, acelerando o ritmo depois de meses com a obra paralisada, e isso vem me tomando quase todas as horas do meu dia na frente do computador. Acabei tendo que pegar um texto de uma das minhas ídolas e irmãs de consciência, Lola Aronovich, para não deixar o dia de hoje passar em branco (neste contexto, este termo acaba sendo meio esdrúxulo).

O texto é antigo, de mais de dois anos atrás, mas mantém uma atualidade formidável. Daí eu trago-o aqui na íntegra (excepcionalmente, uma vez que atualmente eu venho divulgando apenas os trechos iniciais de textos reproduzidos de outros lugares, acrescidos do link para o artigo completo na fonte).

 

Argumentos circulares para continuar com o racismo
por Lola Aronovich

Um dos assuntos do momento nos EUA diz respeito à prisão de um professor universitário. Henry Louis Gates Jr, um negro de meia idade e professor de nada mais nada menos que Harvard, voltava ao seu lar após uma semana pesquisando na China. Encontrou a porta da sua casa emperrada, e tentou, com a ajuda de seu motorista, também negro, forçá-la um pouco para poder entrar. Nem preciso continuar contando o que aconteceu, né? O nosso conhecimento prévio já se encarrega de terminar. (mais…)

Nenhum Comentário

-

Leia mais aqui